1,5 bilhão de reais são flagrados deixando Huobi em meio à suposta prisão de executivo

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Executivo da Huobi teria sido detido pela polícia na China

  • R$ 1,5 bilhões em Bitcoin divididos em 10 transações saem da exchange em horas

  • Empresa nega acusações e diz que operação “está normal”

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A Huobi, uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo, se vê no meio de um possível escândalo com autoridades após a suposta prisão de um de seus executivos de alto escalão.



Veículos da imprensa chinesa divulgaram na última segunda-feira (2) que o chefe de operações da corretora, Robin Zhu Jiawei, teria sido detido pela polícia chinesa. Além disso, uma série de transações incomuns chamam a atenção da comunidade nesta terça-feira (3).

De acordo com o monitor Whale Alert, houve, dentro de poucas horas, pelo menos 10 transações de 2.000 BTC cada saindo da Huobi em direção a carteiras desconhecidas. O montante é o equivalente a cerca de R$ 1,5 bilhão na cotação atual da criptomoeda.



2.000 BTC (26.628404 dólares) transferidos da Huobi para carteira desconhecida.

A saída de Bitcoin se deu após entrada de valor similar em USDT na corretora. O movimento, segundo a empresa, não tem relação com os rumores, que seriam falsos. A empresa nega que seu executivo tenha sido preso e garante que ele está em uma viagem de negócios. Além disso, a companhia diz que a exchange está funcionamento normalmente.

A Huobi Global está operando normalmente. Tomamos conhecimento de rumores em nossa comunidade sobre a prisão de um alto executivo da Huobi por autoridades locais. Podemos dizer com confiança que esses rumores são falsos.

 

Crise na Huobi afeta preço do Bitcoin

O caso da Huobi faz lembrar ao que aconteceu em outubro com a OKEx, cuja crise chegou a afetar o preço do Bitcoin momentaneamente. O efeito sobre o BTC, dessa vez, porém, parece ser menor.

O preço do Bitcoin recuou por algumas horas na segunda-feira, indo de mais de US$ 13.700 a cerca de US$ 13.300. Mas, já recupera as perdas nesta tarde, segundo o Coingecko.

Preço do Bitcoin flutuou em meio à polêmica envolvendo Huobi

Até o momento, o mesmo parece não acontecer com a Huobi, que permanecia ativa até às 13h30 desta terça-feira.  Por outro lado, o Huobi Token (HT) sofre desvalorização em meio à polêmica, acumulando perdas de 6,6% nas últimas 24 horas.

No caso da OKEx, vale lembrar, a exchange chegou a suspender saques por 20 dias. Além disso, a empresa foi acusada de desviar fundos durante o bloqueio. Estima-se que, juntas, Huobi e OKEx tenham a custódia de 460.000 BTC, o equivalente a R$ 36,2 bilhões.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá