“200 milhões de trouxas explorados por seis bancos”, afirma Paulo Guedes em live para o Itaú

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • "200 milhões de trouxas explorados por seis bancos": essa é a visão de Paulo Guedes sobre o Brasil

  • Durante live realizada para o Banco Itaú, o Ministro da Economia ressaltou a importância da competição no setor bancário

  • Criptomoedas são alternativa à concentração bancária no Brasil

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

“200 milhões de trouxas explorados por seis bancos”: essa é a visão de Guedes sobre o sistema financeiro no Brasil. Em entrevista ao Itaú Personnalité, o Ministro da Economia do Brasil fala sobre os desafios para superar a atual crise econômica. Criptomoedas apresentam um contraponto ao domínio das grandes instituições financeiras.



O sistema financeiro brasileiro é dominado por poucos players.

Essa é uma reclamação comum no país, já que a concentração de mercado no setor financeiro é gigantesca.



Porém, incomum é o fato de o Ministro da Economia se referir ao problema da maneira como ele o fez.

Durante uma live promovida pelo Banco Itaú, Paulo Guedes se referiu ao problema que incomoda grande parte dos economistas brasileiros: a falta de competitividade no setor bancário.

“200 milhões de trouxas”

https://www.youtube.com/watch?v=e3mX9zAfblM&t=36s

Durante a live, Paulo Guedes se referiu a alguns dos problemas da economia brasileira da seguinte forma:

Ao invés de termos 200 milhões de trouxas sendo explorados por seis bancos, seis empreiteiras, seis empresas de cabotagem, seis distribuidoras de combustível… Ao invés de sermos isso, vai ser o contrário. Teremos centanas, milhares de empresas.

Vale ressaltar que Candido Bracher, presidente do Itaú, participava da transmissão no momento da fala.

Contudo, Paulo Guedes resolveu “aliviar” para o lado dos Bancos nos próximos momentos:

Quando falo que somos 200 milhões de trouxas com seis bancos, […] eu quero muito mais enfatizar a importância da competição.

Embora a colocação inicial não deixe espaços para dúvidas, faz sentido colocar o contexto da concentração bancária no Brasil.

Concentração do setor financeiro no Brasil

O documento oficial mais recente a respeito da concentração bancária no país provém do Banco Central.

Assim, no estudo intitulado “Relatório de Economia Bancária“, são divulgados dados a respeito do problema.

Segundos os dados do BC, no Brasil os cinco maiores bancos detém 81% dos ativos. Assim, Compõem esse grupo:

  • Itaú Unibanco
  • Banco do Brasil
  • Bradesco
  • Caixa Econômica Federal
  • Santander

Além disso, quando são consideradas apenas as operações de crédito, a concentração aumenta para 85%.

Dessa maneira, os dados apresentados pelo BACEN ajudam a entender a declaração de Guedes.

Isso porque o Brasil é o segundo país com a pior taxa de spread bancário, no mundo.

O spread bancário é a diferença entre o que os bancos pagam pelo dinheiro e o que eles cobram para emprestá-los aos clientes.

Nesse sentido, os dados do Banco Mundial mostram os países com o maior spread bancário no globo:

  • 1o: Madagascar: 42,6%
  • 2o: Brasil: 32,2%
  • 3o Tajiquistão: 23,4%
  • 4o República Democrática do Congo: 19,9%
  • 5o Laos: 19,6%

Criptomoedas são um remédio contra o problema

As criptomoedas são um remédio natural contra a concentração bancária.

A sua natureza descentralizada é um dos principais fatores que impulsiona a sua adoção, no mundo todo.

Através do Bitcoin e as demais criptos, diversas pessoas estão diminuindo ou eliminando a sua dependência das instituições financeiras tradicionais.

Assim, é importante que as pessoas conheçam, cada vez mais, a importância crescente das criptomoedas para a economia global.

“200 milhões de trouxas” ou não, a única conclusão possível é a de que a concentração bancária é um entrave para a economia e para os brasileiros.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Nicolas se formou em Direito pela Universidade Federal do Paraná e é pós-graduado em Gestão de Negócios Internacionais. Atualmente, cursa Jornalismo na FAPCOM. Escreve sobre economia, política e história há alguns anos. Em 2017, após entrar em contato com a tecnologia blockchain, se entusiasmou com o seu potencial e passou a estudar as aplicações da tecnologia aos diversos setores da economia. Seu foco está em discutir as melhores maneiras de alavancar o desenvolvimento nacional através do uso do blockchain e das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá