394 mil contas hackeadas via internet banking e R$ 10 milhões convertidos em Bitcoin

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Grupo invadiu milhares de contas e movimentou R$ 10 milhões em Bitcoin

  • Golpes do tipo são comuns no Brasil

  • Polícia conseguiu apreender R$ 710 mil em BTC, mas cotação foi a metade da atual

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Hackers invadiram 394.993 contas bancárias por meio do internet banking e converteram os fundos em Bitcoin. Segundo a Polícia Civil do Tocantins, a quadrilha agiu em 23 estados e movimentou cerca de R$ 10 milhões em BTC.



Os golpistas são investigados pela Operação Ostentação, deflagrada em maio deste ano. Segundo a polícia, eles utilizavam várias técnicas para acessar aparelhos das vítimas e instalar o programa espião responsável pela invasão das contas.

Segundo as autoridades, a quadrilha hackeava roteadores vulneráveis e lançava mão de engenharia social para encorajar o clique em links maliciosos. Como resultado, o ataque obtinha senhas de login do internet banking das vítimas.



Ataques a contas bancárias online são comuns no país. Segundo um levantamento da ESET, o Brasil é o líder de vítimas do Mekotio, um dos vírus mais populares desse segmento. Ele se camufla no computador e se disfarça de internet banking para roubar as senhas do cliente.

O grupo investigado pela operação Ostentação, por exemplo, sequer está nas cabeças do raking de golpes do tipo. Em junho, a operação Criptoshow liderada pelo Ministério Público deflagrou uma série de mandados de busca e apreensão contra suspeitos de operar um esquema que teria desviado R$ 35 milhões.

A polícia não chegou a detalhar o mecanismo utilizado no ataque. Mas, houve invasão a contas bancárias e conversão do saldo em Bitcoin.

Como comprar Bitcoin e entrar no grupo de sinais gratuito do BeInCrypto

Polícia recuperou R$ 710 mil em Bitcoin, mas poderia ter sido muito mais

Ao analisar bens apreendidos de suspeitos, a polícia encontrou credenciais dos criminosos em exchanges de criptomoedas. As contas tinham, no total, 28.6322113 BTC. Com autorização da Justiça, os ativos foram convertidos em R$ 710,4 mil. O montante se soma a R$ 1 milhão bloqueados em conta e veículos apreendidos pela polícia.

O valor, no entanto, poderia ter sido bem maior. Segundo o jornal Folha GO, as autoridades fizeram a conversão dos bitcoins a uma cotação de R$ 24.820. Trata-se de menos da metade dos R$ 54.112 registrados nesta segunda-feira (7) pelo Cointrader Monitor.

Na cotação de hoje, os BTCs apreendidos poderiam resultar em mais de R$ 1,5 milhão.

Acesse o grupo de sinais gratuito do BIC e concorra

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá