Mais de R$ 450 Mil Bloqueados em Esquema com Bitcoin

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Justiça decidiu pelo arresto até de imóveis caso não encontre dinheiro em nome dos réus.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Um esquema com Bitcoin e uma dívida de quase meio bilhão de reais marcam este processo na justiça paulistana. Além disso, a empresa em questão é a mesma que teve um empresário sequestrado em 2019. Com o bloqueio da justiça, mais de R$ 450 mil devem ser usados para quitar a suposta dívida em bitcoin.



Um cliente da BWA conseguiu mediante a justiça o bloqueio de bens em nome do esquema. Além da empresa de investimentos em bitcoin, outros vários réus aparecem na ação.

Movimentada pelo Foro de Santos no interior de São Paulo – SP, a justiça determinou o imediato bloqueio de bens em nome da plataforma e dos demais réus. Isso permitirá que a dívida seja pago em juízo, já que estão acontecendo atrasos com repasses de bitcoin.



Mais de R$ 450 mil investidos em Bitcoin

Muitas empresas prometem lucros absurdos promovendo falsamente o bitcoin. Como se a criptomoeda fosse capaz de garantir um alto rendimento jamais visto. No entanto, esses esquemas podem ser uma verdadeira fraude.

Com um pedido de saque em atraso, um cliente da BWA pede na justiça o arresto de bens em nome do esquema. No total, a dívida é de R$ 451. 832,10. O montante deveria estar investido em bitcoin.

Sem respostas sobre a solicitação o cliente decidiu resolver o problema através da intermediação do foro de Santos da justiça de São Paulo.

Empresário está longe do país

O cliente tenta também impedir que o empresário por trás da BWA deixe o Brasil. No mesmo processo ele pede para que a Polícia Federal seja comunicada sobre o paradeiro de Paulo Roberto Ramos Bilibio.

Antes que o investidor consiga algo relacionado a isso, Paulo Bilibio já está longe do Brasil. Rumores apontam que o criador da plataforma está vivendo nos Estados Unidos. Além do nome do empresário, outros negócios aparecem como réus na ação.

A B2wex Intermediação e Serviços Digitais e BWA são as empresas que se destacam nesta lista. Os empreendimentos acusados de fraude com bitcoin são acompanhados de uma vasta relação de nomes de sócios e líderes do esquema.

Quase meio milhão em golpe

O cliente da BWA confiou quase meio milhão no negócio que pode ser um golpe com bitcoin. Até então, existia a oferta de lucros a partir da custódia da moeda digital em nome da companhia.

O dinheiro que o investidor pede será bloqueado em forma de arresto de bens em nome dos acusados. Ou seja, a justiça “sequestrará” cerca de R$ 450 mil para garantir o pagamento da dívida em juízo.
Essa é a única forma da justiça permitir que a dívida seja paga por ser relacionada a um investimento de alto risco. Se não bastasse, caso não encontre dinheiro em nome dos réus, a justiça determinou o bloqueio de imóveis.

São casas, lotes e estabelecimentos comerciais que podem servir para pagar a dívida com o cliente. Essa medida garante o arresto de bens após não encontrar nenhum suposto saldo em nome dos acusados de manter uma dívida enorme em bitcoin.

Você conhece alguém que investiu em bitcoin pela BWA? COmente sobre a decisão judicial e compartilhe no Twitter.

Share Article

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá