Argentina pede a bancos informações de clientes que negociam criptomoedas

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Declarações confirmadas revelam que o BCRA está solicitando informações sobre clientes que negociam criptomoedas.

  • A comunidade de criptomoedas na Argentina entrou no debate após o vazamento.

  • Passos regulatórios anteriores sobre criptomoedas foram dados pela FIU e pelo BCRA.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O Banco Central da República Argentina (BCRA) obrigará entidades bancárias a divulgarem informações sobre seus clientes que negociam criptomoedas. A medida visa estabelecer se as criptomoedas devem ter maior regulamentação no país sul-americano.



A notícia foi divulgada em um post no Twitter que revela uma mensagem contendo os endereços do BCRA para solicitar as informações em questão.

A mensagem indica que as “entidades associadas” deverão disponibilizar até 7 de abril informações que “permitam identificar os clientes que possuam contas de criptoativos ou que tenham declarado ou sejam conhecidos por efetuarem operações de compra e/ou venda e/ou gestão de pagamentos por meio de criptoativos.”



A informação vazou por meio da comunidade Bitcoin local e foi postada no Twitter. Fonte: @franamati.

A mensagem anexa um formulário para inserir os dados de cada cliente envolvido, incluindo o Código Único de Identificação Tributária (CUIT), tipo e número da conta, nome ou razão social, endereço e autorização para utilizar a conta em questão.

As informações foram confirmadas por fontes do Banco Central ao Infobae. A explicação tem ligação com uma suposta avaliação da entidade financeira para possíveis regulamentações futuras, caso sejam exigidas.

Especificamente, os representantes do BCRA indicaram que “estão estudando se alguma regulamentação é necessária” para operações com criptomoedas.

Comunidade debate

Os comentários dos argentinos, entre indignados e conformados, comentaram a publicação vazada. Especulações sobre um “estoque de criptomoedas”, questionamentos sobre por que o BCRA solicita esses dados e declarações sobre a impossibilidade de regulamentar as criptomoedas foram alguns dos pontos de vista.

Reguladores argentinos já havia dado os primeiros passos

Um dos primeiros sinais regulatórios das operações de criptomoeda na Argentina foi dado pela Unidade de Informações Financeiras (UIF). Conforme relatado pelo BeInCrypto en Español, o órgão procurou forçar as corretoras locais a entregarem seus clientes e suas operações.

No mês seguinte, o Banco Central da Argentina detalhou em circular uma medida que afetaria os detentores de criptomoedas como “ativos líquidos” no exterior. A medida centrou-se na declaração de empresas sobre suas posses em criptoativos em contas estrangeiras, para finalmente decidirem se o acesso ao mercado oficial de dólares ficaria restrito à organização.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

A opinião da equipe BeInCrypto em uma única voz.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá