Atlas Quantum Vai Pagar Bitcoin? Poloniex Libera Saque sem KYC e AML

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Empresa de arbitragem alegava que parte das criptomoedas estavam presas em exchange que muda sua política de segurança.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

As milhares de unidades de Bitcoin que pertencem aos clientes do Atlas Quantum finalmente podem ser liberados. Pelo menos esta deveria ser a previsão da plataforma de arbitragem após um recente anúncio da Poloniex. A corretora de criptomoedas retirou o uso obrigatório do KYC e AML em sua plataforma onde o Atlas Quantum possui Bitcoin.



A notícia sobre a mudança na política de segurança da Poloniex deveria favorecer os negócios do Atlas Quantum. A empresa brasileira sofre problemas com saques de Bitcoin que teriam origem, em parte com o uso do KYC na Poloniex.

Com a mudança na política da exchange, a pergunta que não quer calar ronda os grupos de investidores: será que o Atlas Quantum vai pagar o que deve em Bitcoin?



Exchange facilita Bitcoin do Atlas Quantum

O Atlas Quantum enfrenta problemas para devolver criptomoedas que pertencem aos seus clientes. Até então, os atrasos da plataforma de arbitragem estavam relacionados ao pedido de informações como KYC pela Poloniex, por exemplo.

Investidores do Atlas Quantum esperam desde setembro com saques em aberto na empresa. Porém, pode ser que parte dessas criptomoedas sejam pagas. Como a companhia alegava que um de seus maiores problemas eram as medidas de segurança da exchange Poloniex, o Bitcoin pode voltar a ser pago aos clientes.

Entenda o KYC e o AML da Poloniex

O KYC é mais conhecido como “conheça seu cliente” em tradução livre do inglês. Neste sistema que pode variar de empresa para empresa, algumas informações pessoais são solicitadas.

Além de cópia de documentos que atestem a identidade do usuário, até selfies fazem parte de sistemas de segurança KYC. Além desta medida, a AML também fazia parte das novas mudanças da Poloniex que supostamente afetaram o saldo em Bitcoin do Atlas Quantum.

No caso do AML, a sigla traz uma “política contra a lavagem de dinheiro”. Neste caso, informações adicionais de usuários incluem o pacote de medidas de segurança. Movimentações acima de US$ 1 mil também são passíveis de compartilhamento de dados com autoridades financeiras, segundo a AML.

Como a exchange Poloniex decidiu não mais praticar tais medidas de segurança, o Atlas Quantum tende a se beneficiar desta decisão. Portanto, o Bitcoin de clientes que estão nesta corretora de criptomoedas conseguem ser movimentados parcialmente pela empresa brasileira.

Um vídeo que mostra o Bitcoin congelado

Um vídeo publicado pelo Atlas Quantum traz o que seria o problema em volta dos saques de Bitcoin em atraso. Nas imagens a empresa brasileira mostra contas em exchanges estrangeiras e alega que não consegue transferir as criptomoedas normalmente.

A confusão seria por causa do KYC, onde o Atlas Quantum estaria obrigado a fornecer dados sobre seus milhares de clientes. Esta seria a única forma de conseguir movimentar o saldo em Bitcoin que teoricamente existe também na Poloniex.

O vídeo seria uma resposta da empresa para os saques que começaram a preocupar os clientes. No entanto, a Poloniex liberou um saque de até US$ 25 mil por dia para usuários. A liberação acontece sem a necessidade de entregar informações como KYC ou AML para receber Bitcoin.

Será que depois dessa mudança os investidores do Atlas Quantum podem sonhar com seu saldo em Bitcoin? Comente sobre a notícia e compartilhe no Facebook.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá