Auto Proclamado Criador do Bitcoin Diz Que a Blockstream o Invadiu Para Falsificar Documentos

Compartilhar Artigo

O caso em andamento entre Craig Wright e os bens de seu falecido parceiro de negócios Dave Kleiman deram mais uma reviravolta interessante. A figura controversa agora afirma que os desenvolvedores de Bitcoin da Blockstream hackearam dispositivos eletrônicos para alterar documentos e prejudicar seu caso.



A informação vem de um memorando conjunto de descoberta apresentado ontem. No documento, o consultor jurídico do réu solicita acesso a comunicações entre vários grupos e indivíduos relacionados com a história inicial do Bitcoin e o irmão de Kleiman, Ira. Isso inclui Greg Maxwell, o usuário do Twitter com o nickname “Contrarian”, Blockstream, Bitcoin Core e o pools de mineração de BTC.

A defesa alega que os mencionados podem ter hackeado os dispositivos eletrônicos de Craig Wright e criado os documentos antigos que são usados ​​como evidência no caso.



Curiosamente, a Blockstream foi fundada em 2014, depois que Wright já estava em trabalhando com o Ira. Aparentemente, Wright está alegando que o grupo de desenvolvedores Bitcoin havia invadido seu sistema de computador – mesmo antes da fundação da empresa.

Os demandantes argumentam que a demanda por comunicação entre Kleiman e Blockstream é irrelevante para o caso e é simplesmente uma maneira de reunir informações sobre os inimigos do réu. Eles também afirmam que Wright não apresentou nenhuma evidência de qualquer invasão contra si mesmo.

Outra objeção dos autores está relacionada a um esforço percebido por Wright para ocultar evidências do tribunal. Ele está exigindo o pagamento entre 50.000 e 125.000 libras para tornar sua esposa disponível para depor. Naturalmente, os autores não concordam com isso. Eles escrevem:

“[Wright] não deve ter permissão para escondê-la em um país estrangeiro … para prender os demandantes no julgamento.”

Em outras partes do memorando, há evidências de outros pontos de discórdia entre a defesa e os queixosos.

Wright deseja acesso imediato aos dados que podem ser recuperados dos dispositivos eletrônicos de Dave Kleiman. Ele suspeita que Ira tenha realmente vendido Bitcoin após a morte de Dave para financiar uma nova casa de US $ 400.000. No entanto, os autores afirmam que a origem dos fundos não está diretamente relacionada ao caso e, portanto, o pedido representa uma invasão da privacidade de Ira.

Finalmente, os autores levantam a questão da enorme quantidade de graduações, doutorados e diplomas de Wright. Eles afirmam que o réu não entregou cópias das muitas qualificações que ele diz ter. Segundo os autores, eles também podem ter sido forjados e a questão é relevante para estabelecer a credibilidade e os antecedentes gerais de Wright. A descoberta de que tais documentos não existem forneceria evidência de uma tendência à falsidade em Wright e apoiaria o argumento de que o requerente de Satoshi Nakamoto falsificou outros documentos relacionados ao caso.

Você acredita que Wright falsificou os documentos apresentados para a jutiça? Deixe nos comentários a sua opinião! Aproveite para compartilhar no Twitter e no Facebook!

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Com formação em ciências e redação, Alice começou a escrever profissionalmente há 7 anos. Desde então, ela tem aprendido, investido e escrito sobre criptomoedas e tecnologia blockchain para algumas das maiores publicações do setor. Atualmente, compõe a equipe de jornalistas Brasil da BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá