BID Quer Blockchain Para Vigiar Quarentena na América Latina

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Iniciativa é do Banco Interamericano de Desenvolvimento e pretende ajudar governos

  • Plataforma é inspirada em experiência de Singapura

  • Sistema promete mais privacidade do que parcerias com operadoras

  • promo

    Participe da nossa comunidade gratuita no Telegram e obtenha sinais de trade e análises de criptomoedas todos os dias!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

App do BID vai lançar mão de blockchain para preservar a privacidade dos usuários e fornecer dados aos governos para ajudar no controle do isolamento social durante a pandemia de Covid-19.

Patrocinados



Patrocinados

A blockchain será aliada do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) na criação de uma solução para auxiliar governos no combate à pandemia de Covid-19. Batizado de David-19, o software visa monitorar a população com o objetivo de visualizar os níveis de quarentena em países da América Latina.

A ideia é distribuir os dados em uma rede descentralizada para obter boa confiabilidade sem invadir a privacidade dos cidadãos. Segundo o BID, a solução é inspirada no monitoramento adotado na Singapura, que vem sendo referência no combate a aglomerações em meio à pandemia.

Patrocinados



Patrocinados

A iniciativa conta com a parceria da consultoria Everis, da plataforma de agregação de dados World Data, fonte do monitor de coronavírus da Universidade Johns Hopkins; e da IOVlabs, empresa especializada em uso de bitcoin e blockchain em projetos de Internet Of Value.

O grupo é liderado por Alejandro Pardo, especialista do laboratório de inovação do BID. Para ele, a blockchain é ideal para o projeto pois é uma tecnologia global, social e solidária. Essas características ajudariam a colocar o cidadão como protagonista das medidas contra o coronavírus. Ao mesmo tempo, as informações aportadas pelos usuários teriam privacidade garantida.

“Os dados são estritamente privados. Não há chance de que alguém possa pegar esses dados e saber quem você é”, disse Pardo à AFP.

A adesão ao sistema deverá ser opcional. Entretanto, ainda não se sabe se os governos terão autonomia para decidir sobre uma eventual obrigatoriedade.

Blockchain x Dados de Operadoras

A solução do BID poderá ser uma alternativa mais segura a ações tomadas por alguns governantes. A iniciativa anunciada pelo governador de São Paulo, João Doria, por exemplo, utiliza informações provenientes diretamente dos bancos de dados das operadoras de telefonia.

O governo paulista alega que os dados são anonimizados. No entanto, o uso de blockchain ajuda a eliminar dúvidas e tornar a plataforma mais transparente.

O BID defende que os dados agregados pela plataforma David-19 ajudarão a governos na tomada de decisão durante a crise. A ideia é que seja mais fácil saber para onde mandar máscaras e outros equipamentos de prevenção, por exemplo. Além disso, poderá ser possível descobrir recortes da população com maior risco para a propagação da doença.

A expectativa é que o software esteja pronto no prazo de um mês.

Para manter-se informado, tendo a sua disposição conteúdo constante e de qualidade, não deixe de acompanhar nosso site. Aproveite e faça parte da nossa página de criptomoedas no Twitter.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Patrocinados
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Sou editor-chefe do BeInCrypto Brazil desde abril de 2021.

SEGUIR O AUTOR

Previsões de cripto com o Melhor Canal de Sinais com +70% de acertos!

Entre Agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora