Bitcoin (BTC) recupera suporte e Axie Infinity (AXS) salta impressionantes 65%

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Bitcoin recuperou US$ 32.000 e revalidou suporte.

  • BTC precisa superar resistência crucial se quiser continuar subindo.

  • Em retomada impressionante, Axie Infinity disparou 65% desde ontem.

  • promo

    Participe da nossa comunidade gratuita no Telegram e obtenha sinais de trade e análises de criptomoedas todos os dias!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O Bitcoin (BTC) voltou a se estabilizar ao redor dos US$ 32.000 depois de um dia de recuperação na sequência da queda para US$ 29.200.

Patrocinados



Patrocinados

Nas últimas 24 horas, a criptomoeda registra alta de 4,2%, para US$ 32.157 no fechamento da matéria. Apesar de ainda acumular perda de 2,3% na semana, o movimento recente mantém acesa a possibilidade de ver um novo rali em breve.

No processo de recuperação, o BTC criou um engolfo de alta, padrão técnico considerado otimista, levando o preço para a máxima local de US$ 32.858 na tarde da última quarta-feira (21), em meio a um evento em que Elon Musk confirmou a aquisição de Bitcoin pela SpaceX.

Patrocinados



Patrocinados

A cotação logo caiu para a região de US$ 31.500, mas voltou a subir na noite de ontem e seguiu operando lateralmente nas primeiras horas desta quinta-feira (22).

Axie Infinity dispara 65% em 35 horas

Apesar da recuperação otimista do Bitcoin, o movimento não chegou perto do rali impressionante do token Axie Infinity (AXS). Em pouco mais de um dia, o criptoativo saltou da mínima local de US$ 14,90 para US$ 24,56 na manhã de hoje, avanço expressivo de 64,83% – 35% foram nas últimas 24 horas.

Para especialistas ouvidos pelo BeInCrypto, o AXS se mostra descorrelacionado ao mercado de criptomoedas como um todo porque oferece utilidade no mundo real – no caso, jogo viral Axie Infinity – e, portanto, a maioria das pessoas que compram não quer apenas especular.

No entanto, é preciso ficar atento com o preço atual: se o AXS estiver de fato em uma onda corretiva, poderá voltar a cair agora antes de buscar novas máximas.

Além do AXS, os tokens FLOW, TEL e STX registram ganhos substanciais de mais de 20% em meio a uma porção de criptomoedas no verde entre as 100 maiores. O bom momento leva a capitalização total do mercado recuperar 5%, para US$ 1,36 trilhão, após ter caído para US$ 1,29 trilhão um dia antes.

Entre os tokens perdedores, apenas o LEO Token (LEO) recua dois dígitos, com 11% negativos no dia. Já na semana, os piores são MDX, XDC, KCS e RUNE, que desvalorizam entre 18% e 25% nos últimos sete dias.

Para onde vai o BTC após retomar suporte

Embora pequeno, o salto do BTC de US$ 29.200 para mais de US$ 32.000 foi o suficiente para revalidar a zona de US$ 31.300 como suporte de preço. Segundo o analista de criptomoedas do BeInCrypto, Valdrin Tahiri, esse nível funciona como suporte desde 19 de maio.

Por outro lado, a subida ainda não é suficiente para virar a chave dos principais indicadores técnicos, todos ainda em baixa. Um dos motivos foi a rejeição do Bitcoin ao tentar superar a barreira de US$ 32.925 posta em uma linha descendente formada em 29 de junho.

BTC foi rejeitado pouco abaixo dos US$ 33.000, atualmente o novo nível para ficar de olho.

Segundo o especialista, este é o preço chave para ficar de olho no momento: se o preço superá-lo e voltar a se sustentar acima de US$ 33.000, é provável que o BTC acelere logo em seguida.

BTC pode subir rumo a US$ 37 mil ou mais se superar os US$ 33 mil.

Por ora, a contagem de ondas sugere que os próximos alvos estariam em US$ 37.278 e US$ 42.181.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Patrocinados
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Sou editor-chefe do BeInCrypto Brazil desde abril de 2021.

SEGUIR O AUTOR

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora