Bitcoin Conseguirá um Grande Impulso Assim Que os Bancos Começarem a Oferecer Criptomoedas

Compartilhar Artigo

As restrições regulatórias que anteriormente proibiam os bancos alemães de oferecer serviços relacionados ao Bitcoin aos clientes logo podem se tornar uma coisa do passado.



Novos relatórios estão chegando e, assim que a quarta Diretiva de Lavagem de Dinheiro da UE entrar em vigor, as instituições financeiras na Alemanha terão a aprovação legal e regulamentar para oferecer e manter criptomoedas, incluindo Bitcoin.

Embora detalhes sobre um cronograma definitivo ainda sejam desconhecidos, é provável que a mudança seja totalmente implementada em 2020.



Um grande impulso para a adoção do Bitcoin

Este é realmente um desenvolvimento empolgante para a comunidade Bitcoin, não apenas na Alemanha, mas praticamente em toda a UE e além. Afinal, ter uma ampla variedade de instituições bancárias e financeiras convencionais oferecendo criptomoedas tornará a classe de ativos mais atraente para alguns céticos e investidores iniciantes.

Enquanto isso, é uma situação em que todos os bancos ganham, já que agora eles têm um mercado totalmente novo para explorar. Até agora, nenhuma instituição financeira alemã regulamentada estava autorizada a oferecer serviços relacionados a criptomoeda diretamente aos clientes. O melhor que podiam fazer era redirecionar os clientes para uma subsidiária ou custodiante externa.

Com a entrada em vigor dos novos regulamentos, os investidores alemães poderão investir em Bitcoin e outros ativos digitais por meio de fundos domésticos, em vez da antiga abordagem de recorrer a fundos offshore. Em outras palavras, investir em criptomoedas por meio de um banco alemão pode se tornar tão fácil quanto investir em qualquer ativo convencional, como ações e títulos.

Críticos falam contra a mudança

Enquanto isso, nem todo mundo parece convencido sobre o mérito dessa mais recente jogada pró-criptografia do banco central alemão. Alguns críticos estão argumentando que é uma má idéia permitir que os bancos vendam diretamente criptomoedas e serviços relacionados aos clientes.

Segundo eles, isso poderia abrir caminho para cenários injustificados, nos quais os bancos estariam interessados ​​em vender diretamente Bitcoin ou outros ativos digitais da mesma maneira que vendem qualquer produto financeiro, como cartões de crédito. Sob tais circunstâncias, é possível que alguns bancos vendam esses ativos digitais para seus clientes sem divulgar adequadamente os riscos associados à classe de ativos.

Enquanto isso, o político e comentarista financeiro Fabio De Masi, do Partido de Esquerda, alertou que os bancos não devem priorizar o lucro no espaço de criptomoeda em detrimento da proteção do cliente, de acordo com uma mídia local.

Digno de nota aqui é que os bancos alemães parecem ser da opinião de que o uso de moedas virtuais como instrumento financeiro viável é inevitável. Como o BeInCrypto relatou no início do mês passado, mais de 200 bancos alemães unidos propor uma moeda digital pan-europeia da mesma forma que os DCEP na China .

Você acredita que seja uma boa ideia permitir que os bancos ofereçam criptomoedas? Deixe nos comentários a sua opinião! Aproveite para compartilhar no Twitter e no Facebook!

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Com formação em ciências e redação, Alice começou a escrever profissionalmente há 7 anos. Desde então, ela tem aprendido, investido e escrito sobre criptomoedas e tecnologia blockchain para algumas das maiores publicações do setor. Atualmente, compõe a equipe de jornalistas Brasil da BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá