“Bitcoin do Oriente Médio” Termina com Prisão de Líder de Esquema Ponzi

Compartilhar Artigo

O “Bitcoin do Oriente Médio” foi usado em um golpe aplicado por um gestor de investimentos. O negócio envolvendo o esquema Ponzi chegou ao fim com a prisão do líder do esquema. De acordo com a investigação, desde 2017 foram movimentados quase R$ 21 bilhões pelo gestor do “Bitcoin do Oriente Médio”.



Em dois anos, Aziz Com Mirza movimentou mais do que as exchanges brasileiras em 2019, segundo o CoinTradeMonitor. O esquema do canadense naturalizado como paquistanês consistia em gerenciar investimentos de terceiros em criptomoedas.

O “Bitcoin do Oriente Médio”

O Bitcoin é a criptomoeda com mais renome em todo o mundo. Alguns esquemas utilizam o nome do Bitcoin para reforçar a credibilidade dos golpes que movimentam fortunas em verdadeiros golpes.



No caso do “Bitcoin do Oriente Médio”, uma altcoin recebeu este “apelido” com o intuito de ser utilizada no esquema de Aziz. A altcoin em questão é a Habibi Coin. A criptomoeda recebeu o “apelido” alusivo ao Bitcoin, acrescido de um “sobrenome” que faz menção ao local em que o golpe fez sucesso.

Aziz sustentava vida de luxo para enganar investidores

Com 800 mil seguidores nas redes sociais, Aziz sustentava uma vida milionária no Instagram. Cercado de roupas de grife e carros de luxo, a vida milionária do golpista atraiu investidores de todo o mundo em busca de lucro fácil com criptomoedas.

Além de uma criptomoeda envolvida no esquema, uma instituição financeira também representava os negócios de Aziz. Desse modo, o gerente de investimentos aportava novos clientes através da International Success Group (ISG).

Um dos investidores do golpe aplicou quase R$ 260 mil na (ISG). A instituição foi apresentada como sendo voltada para a área educacional. Segundo a vítima que caiu no esquema, Aziz prometeu um lucro de 100% em relação ao capital investido no negócio. Porém, a dívida não foi paga pelo líder do golpe Ponzi.

Investidor perdeu R$ 400 mil em esquema Ponzi

Além de investidores do Oriente Médio, o esquema também atraiu investidores nos Estados Unidos. Uma das vítimas daquele país relatou que Aziz foi apresentado como um “magnata do setor imobiliário”. Sendo assim, o investidor decidiu confiar no negócio a importância de R$ 400 mil.

A prisão de magnata aconteceu em Dubai neste último domingo (27). O líder do “Bitcoin do Oriente Médio” foi preso em Dubai depois que um dos investidores denunciou o golpista às autoridades dos Emirados Árabes Unidos.

Na acusação, Aziz aparece como suspeito da prática de crimes de fraude e recebimento ilegal de dinheiro, que foi utilizado no golpe “Bitcoin do Oriente Médio”. O esquema pode ter feito vítimas em países como Reino Unido, Grécia, Canadá e Estados Unidos.

O que achou da prisão do líder do golpe do “Bitcoin do Oriente Médio”? Comente sobre o caso, pois sua opinião é importante para o BeInCrypto. Não se esqueça também de compartilhar essa notícia através do Twitter!

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá