Blockchain no Agronegócio: tecnologia ajudando o produtor rural

Compartilhar Artigo

Uma matéria no jornal Valor Econômico reportou que a tecnologia blockchain está ajudando produtores rurais a reduzir burocracia de financiamento. De acordo com a reportagem, a primeira Cédula de Produtor Rural Eletrônica (e-CPR) foi emitida e registrada em cartório, no estado de Goiás.



O objetivo da e-CPR é garantir ao vendedor a antecipação dos recursos da negociação para financiar a produção e, ao comprador, a entrega futura do produto. No caso em questão, teria sido emitida como garantia para a promessa de entrega de mais de 22 mil sacas de soja do produtor rural à empresa Syngenta, em 30 de março de 2020.

 



O sistema usou assinaturas de certificados digitais baseados na Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil) e a negociação foi intermediada pelos escritórios de Luchesi Advogados e AGtech – Gestão de Títulos. O registro foi realizado em cartório de Jataí (GO) e permitiu reduzir o tempo da operação de 100 dias para 15.

Segundo Antônio Carlos de Oliveira Freitas, sócio do escritório de advocacia, o tempo de emissão pode diminuir para um ou dois dias. Ainda de acordo com Freitas, muitas operações nem são registradas, porque não vale o custo benefício. Com a redução do tempo de emissão poderá aumentar a formalização desse tipo de operação. Com a blockchain, o registro fica mais seguro, porque se trata de um sistema descentralizado.

O que você pensa sobre essa história? Deixe sua opinião nos comentários.

Imagens cortesia da Shutterstock

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Vini se formou em geologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil e trabalhou com gerenciamento de projetos na área de exploração mineral em empresas como BHP Billiton e Vale. Ele se envolveu com o bitcoin em 2011, quando comprou suas primeiras moedas através do jogo online “Second Life”, mas usou a maioria de suas primeiras moedas aprendendo a fazer transações e negociar. Depois disso, ele se tornou um entusiasta da tecnologia blockchain e desde então focou sua carreira para esse campo. Recentemente, ele se dedica à programação frequentando o Le Wagon Coding Bootcamp e Ivan On Tech Academy.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá