BlockDown 2020: veja o auditório em realidade virtual da conferência de blockchain

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Organizadores optaram por solução ante pandemia

  • É possível escolher personagem ou criar um do zero

  • Conferência prevê até networking e festa virtual

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A comunidade de blockchain recorre a uma alternativa inusitada para realizar um evento em tempos de pandemia. A conferência BlockDown 2020 será realizada inteiramente em realidade virtual.



Entre os dias 18 e 19 de junho, participantes do evento terão acesso a um ambiente digital que poderá ser acessado tanto com equipamento de realidade virtual quanto em 2D por meio de um computador comum.

A organização do evento criou um auditório em realidade virtual chamado Sinespace. Ele foi desenvolvido pela Sine Wave Entertainment, empresa britânica especializada nesse tipo de tecnologia.



O software lembra o mundo virtual do Second Life, com cada avatar controlado – e equivalente – a uma pessoa real. Participantes podem escolher avatares predefinidos ou criar seu próprio boneco virtual, baseado ou não na sua imagem pessoal.

O auditório conta com um espaço “aberto” com luz do sol e inspiração em arquitetura pós-moderna. Na parte interna, o auditório traz um espaço para feiras, palestras, mesas redondas e eventos de networking.

Além disso, está prevista até mesmo uma “festa” virtual com pista de dança iluminada virtualmente e com um DJ tocando ao vivo. É possível também tirar “selfies” e postar diretamente no LinkedIn.

Participe da nossa Comunidade de Trading no Telegram para acessar sinais exclusivos de negociação, conteúdo educacional, discussões e análises de projetos!

Projeto-piloto

A conferência de blockchain não será o primeiro evento realizado nesse ambiente de realidade virtual. Em abril, a agência de relações públicas EAK Digital, que também está por traz da BlockDown, executou um teste-piloto com mil pessoas. Cada uma pagou US$ 25 para participar.

A iniciativa foi considerada um sucesso, tendo contado, por exemplo, com patrocinadores virtuais. 10 empresas pagaram para terem estandes em 3D no ambiente imersivo.

O CEO da agência, Erhan Korhaliller, considera que se trata de uma opção melhor do que as videoconferências no Zoom que ficaram tão famosas durante a quarentena. Para ele, dessa maneira, há vantagem clara na interação, que não é unidirecional como nos eventos virtuais comuns

Você pode realmente personalizar seu personagem e ser quem você quiser. Você não precisa se preocupar em sempre ser julgado pela sua aparência ou estilo de vestir. Eu acho que é realmente importante, com a blockchain, romper fronteiras.

Conferência blockchain BlockDown 2020

Os palestrantes da conferência BlockDown 2020 incluem David Schwartz, CTO da Ripple e Jed McCaleb, cofundador da Stellar. Além disso, estará presente Akon, cofundador da Akoin. Todos falarão em palco em realidade virtual.

Os organizadores contabilizam cerca de 600 inscritos até o momento. A expectativa, no entanto, é que pelo 3.000 pessoas se registrem para o evento. Para assistir às palestras principais é preciso desembolsar de 20 a 50 libras. É possível, entanto, acessar uma área restrita do ambiente 3D de graça.

Para isso, é preciso se registrar com antecedência. Além disso, o computador precisa atender a alguns requisitos técnicos para visualizar o ambiente em 3D. As configurações ideais incluem memória RAM de 8 GB, processador octa-core de 3 GHz e, no mínimo, uma placa de vídeo GeForce 1070, da Nvidia.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá