CBDC do Caribe Oriental é mais Bitcoin & menos token autoritário

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • A região do Caribe Oriental registrou a maior atividade da CBDC no Hemisfério Ocidental.

  • Seu Banco Central lançará seu próprio token no início de 2021.

  • Até agora, os planos para lançar uma CBDC nas Ilhas Virgens Britânicas falharam.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Localizado ao norte da América do Sul, o corredor do Caribe Oriental é um dos pontos de acesso de cripto que mais cresce no mundo.



Várias empresas de alto nível, como a Tether, mudaram sua sede para essa região. Os bancos centrais e reguladores locais agora estão interessados ​​em adotar a tecnologia e até em formular uma criptomoeda nacional.



Durante anos, as indústrias de blockchain vêm buscando um ambiente político e regulatório estável. Por algum tempo, as exchanges reuniram-se nas ilhas do Mediterrâneo, mais especificamente Malta . No entanto, os reguladores falharam em elaborar uma estrutura de criptomoeda mutuamente amigável para as empresas da região.

A reputação da pequena nação insular como porto seguro não durou muito. Entretanto, as empresas de cripto voltaram aos projetos, e encontraram sucesso no Caribe. Isso provavelmente se deve à proximidade do Caribe com a América do Norte e ao estreito relacionamento que algumas ilhas compartilham com os Estados Unidos.

Depois de testemunhar o interesse durante vários anos de importantes players do cenário cripto, um grupo de nações insulares do Caribe está se preparando para lançar suas próprias Moedas Digitais do Banco Central (CBDC).

Por que as empresas de cripto estão migrando para o Caribe

Dos onze países na Região Oriente do Caribe, as Ilhas Virgens Britânicas recebeu a maior fama na indústria de criptomoedas. Diferentemente da vizinha Porto Rico, as Ilhas Virgens não são governadas nem associadas aos Estados Unidos.

Em vez disso, opera como um território ultramarino britânico, o que lhe permite desfrutar de um sistema de democracia parlamentar e de eleições. Como resultado, as empresas de cripto foram capazes de encontrar muito sucesso e liberdade regulatória na região.

A exchange de moeda Bitfinex, por exemplo, é registrada lá , embora sua sede esteja em Hong Kong. No ano passado, outra exchange, BTSE, também anunciou que se mudaria para a ex-colônia britânica. A BTSE ficou frustrada com o ambiente regulatório cada vez mais hostil de Dubai.

As implicações de uma CBDC para o Caribe

O Caribe agora abriga o segundo maior mercado de criptomoedas do mundo em volume de dólares. As autoridades regionais percebem que a tecnologia tem um potencial incrível de disrupção.

2018 H1 Bitcoin volume by geography

A Organização dos Estados do Caribe Oriental (OECS), uma organização intergovernamental de onze nações, anunciou planos para um token digital que se assemelha muito às criptomoedas tradicionais, como o Bitcoin.

No ano passado, em março de 2019, o Banco Central do Caribe Oriental (ECCB) assinou um acordo com a startup de fintech Bitt Inc, com sede em Barbados, para conduzir um projeto piloto de uma CBDC. Notavelmente, oito membros da OECS estão sob a jurisdição do ECCB. Todos compartilham uma moeda comum – o dólar do Caribe Oriental.

Em outras palavras, se o banco central emitir uma CBDC, os seguintes países o adotariam: Antígua e Barbuda, Anguilla, Dominica, Granada, Montserrat, São Cristóvão e Nevis, Santa Lúcia e São Vicente e Granadinas.

Vale a pena notar que outros estados do Caribe, principalmente as Ilhas Virgens, usam o dólar americano (USD) ou o euro como sua moeda principal. Eles teriam que criar sua própria implementação da CBDC. Para não ser desfeita, as Ilhas Virgens Britânicas no ano passado divulgaram que estavam trabalhando em sua própria solução de moeda digital .

A abordagem da CBDC do Caribe: adotando o Bitcoin?

Em artigos anteriores desta série sobre CBDC, aprendemos que a grande maioria dos países interessados ​​em moedas digitais está fazendo todo o possível para introduzir centralização . Talvez isso seja mais evidente nos casos da França e da UE , que usam intermediários extensos e supervisão regulatória.

De fato, o modelo experimental da UE nem sequer fez provisões para transações ponto a ponto. Em forte contraste com essa abordagem, no entanto, o ECCB esclareceu que sua CBDC não seria apenas baseado em uma blockchain altamente transparente, mas também tomar providências para transações ponto a ponto.

Se verdadeira, a abordagem permitiria que os usuários do token transferissem fundos com segurança, tudo sem depender de um banco intermediário ou instituição financeira.

 

Em seu comunicado à imprensa , o banco central confirmou que cunharia e distribuiria a versão digital do dólar da CE (abreviado DXCD ) para instituições financeiras licenciadas. Os usuários podem então trocar esses tokens entre si ou gastá-los em comércios a custo zero.

Um benefício disso inclui taxas zero em transações internacionais entre dois países do Caribe.

Não é um exercício acadêmico

O governador do ECCB, Timothy N. J. Antoine, enfatizou que o projeto piloto não é um ‘exercício acadêmico’. De fato, o ECCB pretende ser o primeiro banco central do mundo a emitir sua própria moeda digital de ‘curso legal’ em uma blockchain. O projeto faz parte das estratégias de longa data do banco central que planeja melhorar a estabilidade financeira, reduzir o uso de caixa e impulsionar o desenvolvimento na região.

O ECCB também disse que lançaria aCBDC como uma eventual implantação pública em fases, começando com um período de desenvolvimento e teste de 12 meses. Os países pilotos devem esperar que a primeira fase seja lançada em seis meses. No entanto, o banco central parou de fornecer um cronograma mais concreto para o lançamento.

Ilhas Virgens Britânicas: o nascimento da moeda digital BVI ~ LIFE

Como mencionado anteriormente, as Ilhas Virgens Britânicas (BVI) estão fora da jurisdição do ECCB. Consequentemente, os reguladores deste centro financeiro offshore elaboraram seus próprios planos independentes do CBDC. Algumas apresentam variações notáveis ​​quando comparadas às de seus vizinhos do Caribe.

Para iniciantes, as BVI contrataram uma fintech diferente para pesquisar e desenvolver sua moeda digital. Em 2019, o alvo o governo anunciou que faria parceria com a empresa britânica LIFElabs, para criar o token BVI ~ LIFE.

 

Na época, as duas entidades declararam com confiança que o token seria baseado na tecnologia blockchain. Também ofereceria acesso instantâneo a serviços financeiros para todos os cidadãos das Ilhas Virgens Britânicas. Uma vez totalmente implementados, os usuários poderão acessar a moeda por meio de um aplicativo ou de um cartão de débito físico.

O chefe do governo das BVI, o primeiro-ministro Andrew Fahie, explica :

“O LIFElabs demonstrou, com seu histórico comprovado, que sua ideologia não é apenas meras palavras, e estamos ansiosos para continuar nossa parceria com eles no lançamento da BVI ~ LIFE, nossa moeda digital”.

O problema com o digital

As autoridades alegaram que iriam emitir o token BVI ~ LIFE para moradores e turistas. Enquanto isso, o LIFElabs alegou que o token melhoraria a acessibilidade e também reduziria os custos transacionais. O recurso final de definição do token seria sua capacidade de implantar fundos rapidamente durante programas de resposta a desastres.

Calamidades naturais deixaram grandes áreas da região paralisadas financeiramente no passado. O governo aprendeu as ineficiências do dinheiro em situações em que muitos cidadãos não conseguem chegar até seus bancos locais. Teoricamente, o token também estaria disponível offline no caso de um blecaute nas telecomunicações, uma necessidade depois de desastres como o furacão Irma.

Símbolo da BVI ~ LIFE: morto na água?

Diferentemente de suas contrapartes no Caribe, as Ilhas Virgens Britânicas não anunciaram um cronograma para a emissão de sua moeda digital. Alguns meses se passaram sem uma palavra do governo ou do LIFElabs. Em maio de 2020, surgiram notícias de que a fintech estava planejando fechar devido à pandemia do COVID-19.

Alguns dias depois, a empresa anunciou que forças externas interromperam o projeto. A empresa ficou sem pista financeira e teve que fechar. No entanto, o anúncio foi logo retirado e substituído por outro que dizia:

“Estamos suspendendo qualquer ação referente à liquidação no momento.”

A LIFElabs também afirmou que estava se comunicando com seus investidores para encontrar uma maneira de recapitalizar a empresa. Simultaneamente, o governo das BVI também começou a se distanciar da empresa. O representante do governo Claude Skelton-Cline teria dito à mídia local que as autoridades das Ilhas Virgens Britânicas decidiram não entrar em uma parceria oficial com o LIFElabs em 2019.

Mais tarde, o Gabinete do Primeiro Ministro emitiu uma declaração esclarecendo que o LIFElabs estava apenas concorrendo com outras empresas privadas para o lançamento da CBDC. Ele também alegou que não havia finalizado nenhum acordo oficial.

The Twitter reaction towards the BVI~LIFE Token

Conclusão

A LIFElabs também deixou muitos de seus investidores no escuro. Muitos entraram com raiva no Twitter pedindo por uma explicação. Em julho de 2020, no entanto, o site oficial da LIFElabs e a conta do Twitter foram colocados offline. De acordo com os dados do CoinMarketCap , o token da empresa LIFE ainda está disponível em uma exchange, negociando por um insignificante $ 0.000002.

Infelizmente para o governo das BVI e para os investidores da LIFElabs, todos os sinais indicam que a empresa não cumpriu o que prometia. Resta saber se a moeda digital do Caribe Oriental compartilhará um destino semelhante ou se tornará a primeira implementação bem-sucedida de CBDC no mundo.

Agora que a cripto das BVI está presa no limbo, o governo pode ter que arquivar completamente seus planos de CBDC.

Share Article

Rahul Nambiampurath é um trader da Índia que foi atraído pelo Bitcoin e pela blockchain em 2014. Desde então, ele é um membro ativo da comunidade. Ele tem mestrado em finanças.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá