Cofundador da BitMEX ganha liberdade depois de pagar fiança de US$ 20 milhões

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • O cofundador da BitMEX, Ben Delo, se rendeu voluntariamente às autoridades dos EUA em Nova York.

  • Delo foi libertado depois que pagou uma fiança de US$ 20 milhões.

  • Este é um dos vários processos movidos contra os fundadores da BitMEX.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O cofundador da exchange BitMEX, Ben Delo, se rendeu às autoridades dos Estados Unidos nesta segunda-feira, 15 de março.



Para ganhar a liberdade, no entanto, ele precisou pagar uma fiança de US$ 20 milhões.

As acusações criminais apresentadas contra Delo o acusam de violar a Lei de Sigilo Bancário dos EUA durante seu tempo na liderança da BitMEX.



Delo viajou a Nova York nesta segunda-feira para seu julgamento perante o tribunal em um processo remoto. Ele se declarou inocente e o tribunal o libertou sob fiança de US$ 20 milhões.

Pavel Pogodin, o advogado que está representando os acusados, tweetou hoje os termos da fiança após o processo ser concluído. 

De acordo com o documento, Delo está autorizado a retornar ao Reino Unido e viajar em seguida para as Bermudas. No entanto, ele teve que entregar seu passaporte de Granada e sua carteira de identidade de Hong Kong.

Todos os três fundadores do BitMEX enfrentam acusações

O caso apresentado pelo Departamento de Justiça do EUA, acusa Delo e três outras pessoas de atos criminosos. 

Seus colegas cofundadores da BitMEX Arthur Hayes, Samuel Reed e Greg Dwyer, o primeiro funcionário da empresa e chefe de desenvolvimento de negócios, também estão entre os acusados.

Juntos, Hayes, Delo e Reed fundaram a exchange BitMEX em 2014. Ao lado de Dwyer, eles transformaram a empresa em uma das maiores corretoras de derivativos de criptomoedas do mundo.

Os reguladores norte-americanos acusam a empresa de não ser rigorosa em protocolos de combate à lavagem de dinheiro e KYC durante sua operação nos EUA.

Além disso, a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA apresentou acusações civis contra eles por não registrar a plataforma na Comissão e por violar os regulamentos.

Uma terceira ação civil também foi movida por dois traders contra os fundadores da BitMEX. Conforme a denúncia, eles alegam que os cofundadores também tentaram movimentar cerca de US$ 440 milhões para fora da BitMEX. 

De acordo com os traders, os diretores da exchange tinham conhecimento das acusações criminais pendentes.

As autoridades prenderam Reed no ano passado.No entanto, o libertaram depois que ele pagou uma fiança de US$ 5 milhões.

O advogado Pogodin tuitou no início deste mês que Hayes, o outro cofundador da exchange, poderá se render voluntariamente em 6 de abril. 

Aliás, na mesma mensagem, ele já havia dito que Delo se renderia antes do final de março. Atualmente, Hayes está em Cingapura.

Por outro lado, o outro acusado Dwyer se recusa a se render e segundo Pogodin, as autoridades dos EUA estão tentando extraditá-lo das Bermudas.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá