Coinbase confirma adesão ao airdrop do token Spark para donos de XRP

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Coinbase vai participar de airdrop de token Spark para clientes com carteiras de XRP na exchange.

  • Verificação de saldo ocorrerá nos próximos dias.

  • Corretora americana adere a evento após Binance confirmar participação.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Após Binance confirmar participação, Coinbase anucia adesão ao airdrop do token Spark para clientes com carteiras de XRP na exchange. Verificação de saldo ocorrerá nos próximos dias.



A Coinbase, maior exchange de criptomoedas dos EUA, é a mais nova a anunciar adesão ao airdrop do token Spark. O ativo será distribuído para donos de XRP que tiverem saldo na carteira no momento da verificação, marcada para esta semana. A corretora confirmou a participação no último domingo (6). 

O anúncio ocorre após a Binance também assegurar suporte ao airdrop. Além disso, o mecanismo utilizado pela Coinbase será parecido. Usuários receberão tokens na proporção de um para um, mas em quantidade limitada. Os 45 bilhões de tokens Spark serão destinados às exchanges proporcionalmente ao volume de XRP custodiado.



O montante de Spark a receber dependerá, dessa forma, do saldo em XRP de cada cliente na carteira. A verificação (snapshot) ocorrerá às 21h do próximo dia 11 de dezembro, no horário de Brasília. Transações em XRP serão interrompidas momentaneamente antes e depois desse momento para garantir a checagem correta dos saldos. 

A Coinbase irá suportar o airdrop do token Spark da @FlareNetworks. Os clientes em jurisdições aprovadas que possuem XRP em suas contas na data da verificação em 12 de dezembro estarão qualificados para receber tokens Spark. Planejamos distribuir o airdrop após o lançamento da rede Flare.

XRP valorizou 100% em poucos dias

Para alguns analistas, a novidade pode dar um fôlego extra para a subida de preço do XRP. A Coinbase, afinal, tem 30 milhões de clientes que, agora, podem usar seu saldo para garantir Spark de graça. O ritmo de compra na exchange, portanto, pode aumentar.

Em alta desde meados de novembro, a criptomoeda da Ripple avançou forte em poucos dias. No entanto, caiu após o pico acima dos US$ 0,70. Ainda assim, o preço atual na região perto dos US$ 0,60 representa uma valorização de cerca de 100% frente ao valor de antes do rali.

Na falta de outro motivo claro para a subida, a proximidade do airdrop surge como a provável razão por trás do movimento. A procura tem ligação com a tecnologia prometida pelo token, que será para a Flare Network o que o ETH é para a rede Ethereum.

A plataforma oferecerá suporte a contratos inteligentes e demais funções correlatas. Antes mesmo do lançamento, já surgiu até mesmo um projeto DeFi que usa o Spark como base. No entanto, os criadores, que contam com suporte financeiro da Ripple, prometem tokenizar outras moedas no futuro, como bitcoin e litecoin.

Além da Coinbase e da Binance, também farão parte do airdrop exchanges renomadas como Bithumb e Bitstamp. A última recebeu 10 milhões de XRP em uma única transação na segunda-feira (7). Já nesta terça-feira (8), o XRPL Monitor flagrou outra transferência de grandes proporções, com 26,5 milhões de XRP movidos de uma única vez, possivelmente em preparação para o airdrop.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá