Comunidade Monero diz que suposta quebra de anonimato é ‘exagerada e copiada’

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • CipherTrace afirma ter criado uma ferramenta de rastreamento de Monero

  • Críticos dizem que a funcionalidade é exagerada e copiada

  • O Departamento de Segurança Interna dos EUA afirma que usará a ferramenta para combater o crime

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A Monero (XMR) é uma criptomoeda elogiada por entusiastas e criminosos como a rainha das transações anônimas. Agora, os analistas da CipherTrace, empresa de segurança blockchain, criaram a primeira ferramenta capaz de rastrear transações de Monero.



A CipherTrace desenvolveu a nova ferramenta como um meio de auxiliar o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (DHS).

Os críticos dizem que a ferramenta é rudimentar, mas as alegações de ela “quebra” a Monero são verdadeiras?



Estados Unidos quer transações rastreáveis

O advento dos mercados da dark web foi impulsionado pelo desenvolvimento de criptomoedas. Notoriamente, a maioria das vendas no mercado negro online Silk Road ocorreu com Bitcoin.

Desde que essas novas ferramentas se tornaram disponíveis para ajudar a inclinar a balança a favor daqueles que buscam manter transações privadas, as forças de segurança começaram a mover tecnologia para evitar o uso de criptomoedas no crime cibernético.

Mas, algumas moedas de privacidade como a Monero ganharam popularidade desde os dias da Silk Road e agora é a segunda moeda mais usada na dark web.

Como as transações de Bitcoin são anônimas, mas totalmente públicas, elas oferecem anonimato, mas não privacidade total.

Moedas de privacidade como Monero e Zcash (ZEC) usam tecnologia para (essencialmente) ocultar e embaralhar transações. Isso as torna à prova de rastreamento. Mas, a ferramenta criada pela CipherTrace aparentemente oferece uma maneira de contornar essas defesas.

As forças do bem e do mal

Embora os EUA pareçam ser o principal ator por trás do desenvolvimento da ferramenta, não são seu único cliente potencial.

Dave Jevans, CEO da CipherTrace disse:

Nossa equipe de pesquisa e desenvolvimento trabalhou por um ano no desenvolvimento de técnicas para fornecer ferramentas de análise aos investigadores financeiros. Ainda há muito trabalho a ser feito, mas a CipherTrace tem o orgulho de anunciar o primeiro recurso de rastreamento de Monero do mundo. Somos gratos pelo apoio da Diretoria de Ciência e Tecnologia do Departamento de Segurança Interna neste projeto.

Portanto, embora essa ferramenta possa ser usada para combater o que os EUA veem como terrorismo, ela também pode ser usada para rastrear transações legítimas de Monero. Isso pode ajudar na aplicação da lei em casos de moeda digital roubada ou pagamentos de ransomware. Também pode levar a interações desnecessárias com a aplicação da lei durante transações totalmente legais.

Para ser claro, a ferramenta parece ter limitações. De acordo com a CipherTrace, o escopo do projeto “estabeleceu as bases” para a implementação de agrupamento de transações de entidade, identificações de carteira e identificação de exchanges. Pode até ajudar nas investigações de endereços – mas não quebra o disfarce da Monero de verdade.

Comunidade Monero contra-ataca

A comunidade Monero questionou a validade da ferramenta CipherTrace. Considerando as limitações da ferramenta, não está claro o que exatamente ela faz.

Alguns entusiastas da Monero apontaram que sem um endereço conhecido é tecnicamente impossível rastrear a origem ou o destino de uma transação. Muitos também sugerem que o comunicado de imprensa da CipherTrace é contraditório.

1 / Não há razão para pensar que algo novo está acontecendo aqui até prova em contrário. A resposta mais provável é que eles estão usando métodos desenvolvidos pela comunidade Monero para melhorar o Monero e desanonimizar algumas transações específicas com dados externos.

2 / A comunidade Monero há muito tempo está na vanguarda da pesquisa de privacidade em um esforço para construir ferramentas mais fortes, como evidenciado pela série Breaking Monero.

Outros chegam ao ponto de sugerir que a CipherTrace está trapaceando. O técnico de segurança e entusiasta da Monero Seth Simmons considerou que qualquer função que a ferramenta possua de não é original.

Segundo ele, adeptos da Monero fazem seus próprios testes de protocolo. O objetivo é torná-lo mais seguro. Nada do que o CipherTrace disse, portanto, superaria o que os engenheiros da Monero já sabiam.

Quando contatado sobre a alegação de que a ferramenta carece de algo “novo”, a CipherTrace se recusou a comentar. Um porta-voz observou, no entanto, que a equipe da Monero está atualmente entrevistando o CEO da CipherTrace, Dave Jevans.

Em outras palavras, a equipe não desenvolveu totalmente uma ferramenta para dizer origem, quantidade ou destino de uma transação com Monero. Ainda assim, uma ferramenta que pode restringir endereços é algo substancial. A comunidade da moeda focada em privacidade ficará de olho nesta e nas ferramentas futuras – o anonimato das criptomoedas está nas mãos deles.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

A opinião da equipe BeInCrypto em uma única voz.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá