Crime de Bitcoin e Criptomoeda Sob as Lentes em Conferência Policial

Compartilhar Artigo

Mais de 200 representantes de vários departamentos de polícia se reunirão em Brisbane, na Austrália, nesta semana. O objetivo é compartilhar informações sobre os métodos em evolução que os criminosos online estão usando para realizar crimes e ocultar o produto deles com a ajuda do Bitcoin e outras tecnologias.



Representantes da Polícia Federal da Austrália (AFP), Departamento de Justiça dos Estados Unidos, Força Policial de Cingapura, Polícia da Nova Zelândia, Serviço de Tributação da Austrália e Comissão de Valores Mobiliários e Investimentos da Austrália, Comissão de Inteligência Criminal da Austrália e Centro de Análise e Relatórios de Transação da Austrália, junto com a polícia estadual e do território participará da Conferência Nacional de Produto do Crime de 2019. O evento será realizado entre 13 e 15 de novembro.



De acordo com um comunicado de imprensa da AFP,o tema da conferência será “repensar os esforços de aplicação da lei para abordar a globalização e a digitalização da economia criminal”. O anfitrião do encontro de três dias é a Força-Tarefa de Confisco de Ativos Penais, liderada pela Polícia Federal da Austrália.

Justine Gough, comissária assistente interina da AFP, comentou sobre a necessidade de uma conferência:

“Os avanços na tecnologia, como criptomoedas e comunicações criptografadas, mudaram a maneira como os criminosos adquirem e ocultam seus ativos … Aproveitar e remover os lucros do crime é uma das capacidades mais eficazes que temos para impactar as redes criminosas organizadas.”

O tópico principal abordado na conferência será como a polícia responde à digitalização das atividades criminosas. Além do Bitcoin e das criptomoedas, outros problemas abordados incluirão a dark web, lavagem de dinheiro e como diferentes autoridades policiais podem colaborar nas investigações, bem como a monetização geral do crime cibernético.

No início deste ano,houve ainda uma colaboração entre a AFP e o regulador de valores mobiliários australiano ASIC que viu um anel de fraude de identidade derrubado, como publicado pelo BeInCrypto em inglês. Os envolvidos estavam vendendo identidades de indivíduos e usando-os para vários meios criminais. A conferência desta semana procura promover esforços colaborativos semelhantes para levar os golpistas e criminosos online à justiça, bem como entender melhor como os ativos criptográficos podem ser usados ​​para fins ilícitos.

Você acredita que a polícia obterá êxito em reprimir os crimes com criptomoedas? Deixe nos comentários a sua opinião! Aproveite para compartilhar no Twitter e no Facebook!


As imagens são cortesia da Shutterstock.


Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Com formação em ciências e redação, Alice começou a escrever profissionalmente há 7 anos. Desde então, ela tem aprendido, investido e escrito sobre criptomoedas e tecnologia blockchain para algumas das maiores publicações do setor. Atualmente, compõe a equipe de jornalistas Brasil da BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá