Criminoso que Pediu 500 Bitcoin de Resgate para Vítimas de Golpe é Deportado para os EUA

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Homem será enviado ao país norte-americano depois de ficar preso por mais de um ano na Inglaterra.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Um estelionatário foi preso na Inglaterra acusado de pedir 500 unidades de Bitcoin (BTC) como resgate para vítimas que quase caíram no golpe. Com supostas informações comprometedoras, o criminoso ameaçava divulgar dados e pedia Bitcoin em troca do sigilo.



Depois de cumprir pena na Inglaterra, Nathan Wyatt deverá ser deportado para os Estados Unidos. A corte norte-americana espera julgar o hacker por crimes de roubo de identidade, além de conspiração contra aquele país. O homem ainda é acusado de ter danificado três computadores que foram invadidos em busca de “informações que valiam Bitcoin”.

Estelionatário exigia Bitcoin para não divulgar informações

Nathan Wyatt foi preso em 2017 após ser considerado culpado diante de crimes envolvendo o pedido de resgate em criptomoedas como o Bitcoin. Desde então, o hacker estava atrás das grades com a decisão proferida pelo Tribunal de Southwark.



Somente na Inglaterra existem inúmeras denúncias contra o inglês que foi preso há dois anos atrás. Segundo uma das vítimas, o acusado exigiu 500 unidades de Bitcoin para não divulgar informações que seriam sigilosas.

Atualmente 500 unidades de Bitcoin (BTC) equivalem a quase R$ 17 milhões segundo a cotação atual da criptomoeda. O impressionante pedido de resgate em Bitcoin foi direcionado a executivo de uma empresa.

O inglês acusado nos dois países também fez ameaças a um CEO que não teve o nome divulgado. Neste caso, o estelionatário exigiu em dinheiro mais de R$ 2,1 milhões para não publicar informações sobre a vítima.

O CEO foi ameaçado pelo estelionatário, que alegava ter invadido as contas do Paypal e do Dropbox do executivo que foi vítima do golpe.

Acusado pode voltar à prisão nos EUA

A justiça britânica havia decidido que Nathan Wyatt deveria cumprir uma pena de 42 meses. Com a decisão proferida em 2017, uma regressão da pena poderia colocar o hacker em liberdade mais cedo.

Porém, o Supremo Tribunal de Londres optou pela extradição do homem que deve responder por crimes praticados nos Estados Unidos. Sendo assim, o criminoso deverá cumprir outra pena de prisão, por tentar obter Bitcoin de forma ilícita.

Mais de 20 cartões de crédito roubado

O hacker acusado de estelionato possui uma lista vasta de crimes cometidos através de chantagem. O homem pedia Bitcoin para as vítimas, além de roubar cartões de crédito.

A justiça britânica apresentou 20 queixas contra Wyatt relacionadas ao roubo de dados de cartões pela internet.

O cidadão que foi preso é famoso na mídia britânica depois que foi acusado de cometer um crime “contra a realeza”. Em 2016 investigações preliminares mostravam, até então, que o chantagista podia ter invadido o iCloud da duquesa de Cambridge.

Contudo, o investigado foi liberado depois que a polícia concluiu que Wyatt não era responsável pela invasão aos dados do equipamento da socialite Pippa Middleton. 

Antes mesmo do hacker ser solto na Inglaterra, os Estados Unidos apresentaram um pedido de extradição. Naquele momento, a solicitação foi negada pela corte britânica, que mais tarde mudou o posicionamento recentemente.

Com a mudança da corte, a justiça decidiu que o estelionatário que pedia Bitcoin como resgate será finalmente extraditado para os EUA.

Você conhece alguém que já foi chantageado por criminosos que exigiam Bitcoin como resgate? Comente sobre o homem que será extraditado e compartilhe a notícia no Facebook.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá