Crítico da Selic baixa, Fernando Ulrich dispara contra empréstimo em dólar pelo governo

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Governo vai pedir empréstimo de 4 bilhões de dólares para bancos internacionais.

  • O empréstimo vai bancar as medidas tomadas para conter a pandemia.

  • Fernando Ulrich questiona a taxa Selic e a necessidade de pesir um empréstimo em dólar.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

No dia 23 de maio o site O Globo anunciou que o Ministério da Economia deve pedir dinheiro emprestado para instituições financeiras internacionais.



Esse financiamento externo, de cerca de US $ 4,01 bilhões, seria usado para bancar parte das medidas tomadas para combater os efeitos causados pela pandemia do COVID-19.

Pedidos de empréstimo a instituições internacionais feitos pelo Governo Federal são raros, o último contrato desse tipo foi assinado em 2018, quando a União solicitou US $ 250 milhões para o Ministério da Educação.



A taxa de câmbio usada como referência para o pedido desse ano foi de R$ 5,237, o que totalizaria R$ 21 bilhões. E alguns bancos já aceitaram participar do empréstimo.

Salvar as contas públicas em meio a pandemia

Para custear os impactos da pandemia, a operação de empréstimo deve envolver 6 instituições financeiras e os prazos para a quitação da dívida devem ser de até 20 anos.

Técnicos que participaram da discussão desse projeto disseram que o volume de recursos necessários para reduzir os impactos da pandemia são expressivos, e, para piorar, a crise econômica deve levar à queda na arrecadação de impostos.

Isso deve impactar o nível de recursos disponíveis na Conta Única do Tesouro.

Geralmente, quando isso acontece, o governo emite dívida. Porém, segundo os técnicos, os juros no mercado doméstico têm subido e seria financeiramente vantajoso recorrer ao financiamento externo, o que permite obter recursos de longo prazo a taxas mais atraentes.

Juros baixos pra quem?

O economista Fernando Ulrich, através do seu twitter, comentou a matéria publicada e contestou as nossas taxas de juros.

Ele questionou o motivo de, com a Selic tão baixa, por que o Governo irá se endividar em dólar? E por que não realizar esse financiamento no mercado doméstico.

Afinal, o COPOM reduziu a taxa de juros para 3%. E a previsão é que a Selic caia mais, podendo chegar a até 2% segundo alguns analistas.

Existem ainda alguns economistas que defendem uma redução mais drástica, acreditando que o Brasil precisa de juro zero.

Porém, mesmo com a Selic a 3%, por que esse financiamento barato não está chegando à população? Ou, neste caso, ao governo?

O tweet de Ulrich gerou uma discussão entre os seus seguidores e algumas teorias foram levantadas. Alguns usuários acreditam que o governo está indicando uma queda do dólar.

Outros afirmam que a queda dos juros é artificial. O governo está sendo forçado a fazer empréstimos em dólar por que não consegue esse financiamento em real, devido a falta de liquidez por causa da Selic baixa.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Mercadóloga, mestra em estratégia e estudiosa do mercado financeiro. Entusiasta do Bitcoin, começou a escrever sobre criptomoedas em 2017 e nunca mais parou. Atualmente é colaboradora do portal BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá