O Dólar, o Bitcoin e as demais criptomoedas estão em forte queda durante a quinta feira, 21 de maio. Cenário nacional e internacional reflete nos preços dos ativos. Entenda algumas das razões que estão levando ao presente cenário.

O Dólar americano opera em forte baixa, na comparação com o Real.

Enquanto isso todas as principais criptomoedas caem consideravelmente, incluindo o Bitcoin.

Diversos fatores – externos e internos – estão influenciando no preço dos ativos.

Assim, vale entender um pouco mais do que está acontecendo no mercado.

Dólar, Bitcoin e as altcoins em forte queda

IBOV está subindo nos últimos dias

O mercado brasileiro está apresentando um comportamento diferente ao externo. Nesse sentido, O S&P 500, por sua vez, está em queda de 0,60%.

No entando, por aqui, o índice IBOV está subindo, na contramão dos índices estrangeiros. O aumento é de 1,28%  (82.247 pontos) até o momento.

O Dólar, por sua vez, está em forte queda durante a semana:

Dólar em queda por dois dias consecutivos

No momento (12:45), o Dólar é cotado a R$ 5,59.

Criptomoedas em baixa

Quase todas as principais criptomoedas do mercado estão em baixa:

Criptomoedas em baixa no momento [CoinMarketCap]
Dessa maneira, há queda geral no mercado das criptos, que é puxado pela queda do Bitcoin.

Apenas o Tether apresenta desempenho próximo a zero, já que é pareado com o Dólar americano.

Isso acontece porque o preço do Bitcoin sofreu com as especulações acerca da movimentação em uma carteira que estava inativa desde 2009. Com o “medo” de um dump, o mercado entrou em queda.

Porém, outros motivos também exercem influência na queda do preço das criptomoedas:

  • Deterioração nas tratativas entre os EUA e a China
  • Incertezas motivadas pelo coronavírus
  • Operações alavancadas

De toda maneira, é possível dizer que o momento de queda é temporário.

A especulação a respeito dos poucos Bitcoins “antigos” movidos recentemente não passa disso: uma especulação.

Assim, o mercado de criptomoedas, que tende a ser mais sensível que o dos ativos tradicionais, sentiu o impacto.

Porém, o retorno ao terreno positivo geralmente ocorre na mesma proporção.

Ainda, chama a atenção que os mercados estrangeiros também estão, na sua maioria, em baixa. O que explica isso?

Fatores que influenciam no preço dos ativos

Conforme explica Pablo Spyer, o mercado brasileiro está reagindo de forma diferente dos mercados externos por alguns motivos:

  • Presidente do BACEN avalia aumentar a atuação e vender reserva de dólares
  • Reunião frutífera do Presidente Bolsonaro com os Governadores, sobre o congelamento dos salários de servidores públicos até 2021
  • Corte de juros da África do Sul e Turquia, que são mercados emergentes

Desse modo, o mercado brasileiro está levemente mais otimista do que os estrangeiros.