Dólar vai a R$ 5,04 e IBOV a 115 mil pontos por juros e otimismo global; Bitcoin cai

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Dólar recuou novamente sob expectativa por fim da política de estímulo com redução da Selic.

  • Ibovespa bateu 115 mil na quinta, recuou no intraday da sexta, mas fechou em 115,5 mil pontos.

  • Bitcoin cai mais de 7% e fica abaixo dos US$ 18 mil.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A semana foi boa para os mercados tradicionais, com bons resultados para o Ibovespa e, consequentemente, para o real.



O dólar voltou a cair pela quarta semana seguida e o Ibovespa fechou em alta outra vez . A moeda americana recuou para o patamar de R$ 5,04 enquanto o Ibovespa rompeu o nível de 115 mil pontos. 

No plano de fundo está o otimismo em relação às vacinas. Já o real ganha força pela perspectiva de aumento da taxa de juros. Enquanto isso, o Bitcoin passa por um momento de incerteza. Nesta sexta-feira, a criptomoeda chegou a tocar a região dos R$ 17.600.



Confira, a seguir, os resultados da semana para o dólar, Ibovespa e Bitcoin.

Dólar cai ao menor nível desde junho

O dólar fechou a semana cotado a R$ 5,04, voltando para o patamar registrado pela última vez em junho. O recuo é novamente em resposta à empolgação pela retomada da economia após a vacina. No entanto, dessa vez, há também um componente doméstico. 

O mercado viu com bons olhos a sinalização do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de dar um fim nos cortes da Selic. O BC sinalizou o abandono da política de corte de juros por conta do aumento da inflação.

Dessa maneira, voltou a crescer a expectativa por um novo reajuste positivo da taxa básica de juros. Como consequência, investidores teriam começado a comprar reais em vistas de uma valorização maior nos próximos meses. 

O movimento também se soma à tendência da semana passada, quando analistas começaram a especular sobre a possibilidade de o real se fortalecer a ponto de fazer o dólar valer R$ 4,25 em 2021.

Ibovespa fecha em 115,5 mil pontos 

O efeito sobre o dólar também tem a ver com a busca maior pelas ações brasileiras. O Ibovespa subiu fortemente na semana e superou os 115 mil pontos na quinta-feira (10). A valorização refletiu um sentimento positivo generalizado principalmente no mercado americano, que viu fortes altas apesar de receios entre operadores de Wall Street.

O índice chegou a perder força na sexta-feira (11), quando uma realização de lucros fez o Ibovespa recuar para a casa dos 114 mil pontos. A marca de 115 mil, no entanto, acabou sendo ultrapassada novamente no fechamento. O patamar deixa o IBOV em níveis de fevereiro, levando as perdas para menos de 0,5%.

Bitcoin cai 7% na semana e chega a tocar os US$ 17.600

Se dólar e Ibovespa foram bem, a semana fechou no negativo para o Bitcoin. Após rondar os US$ 19.000 e falhar em superar a máxima histórica, a criptomoeda caiu fortemente com liquidações em massa. No fim da semana, o BTC perdeu força de novo e chegou a tocar preço na região dos US$ 17.600, que havia sido visto pela última vez em novembro.

Na tarde de sexta, o Bitcoin era negociado pouco abaixo dos US$ 18.000, segundo dados do Coingecko. A queda semanal, portanto, já chega a mais de 7%. No Brasil, o recuo do dólar mais uma vez contribui para depreciar o BTC em reais. De acordo com o Cointrader Monitor, o BTC tinha preço médio na região dos R$ 91,9 mil. 

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá