A cotação do dólar em reais piorou nos últimos dias com o desânimo dos mercados. Em meio a receios sobre o impacto de uma segunda onda da pandemia, a moeda americana se fortaleceu.

Após fechar a sexta-feira (25) cotado a R$ 5,56, o dólar volta a subir nesta segunda-feira (28). Às 13h35, ela é cotada a R$ 5,66, recuo de 1,79%.

Segundo aponta a agência de notícias Reuters, o real já acumula a terceira semana de perdas frente ao dólar. No entanto, o movimento ocorre em dia com DXY em baixa. O índice, vale lembrar, mede a força do dólar no resto do mundo.

Enquanto isso, um novo levantamento do Banco Central mostra pessimismo. Fontes do mercado financeiro apontam para uma subida do dólar nos próximos anos.

A expectativa era de que o aumento dos juros trouxesse de volta o investidor especulativo. Com o aumento da demanda por reais, parte das perdas seriam recuperadas.

No entanto, os investidores passam a considerar que o real não conseguirá valorizar como se esperava após o aumento da Selic.

Em 2020, a expectativa de R$ 5,30 subiu para R$ 5,40 até o final do ano. Além disso, em 2022, os esperados R$ 5 passam para projeção de R$ 5,20.

Advertisement
Continue reading below

Já em 2023, o mercado via rompimento do piso de R$ 5 para R$ 4,95. Hoje, já prevê dólar a R$ 5,10 novamente. O único ano “poupado”, dessa maneira, é 2021, que mantém o patamar de R$ 5,10 segundo a mediana de médio prazo.

Como comprar Bitcoin e entrar no grupo de sinais gratuito do BeInCrypto

Governo é criticado por dólar por economistas

No fintwit, a política cambial brasileira é criticada em meio à alta do dólar. Um dos críticos recorrentes é Fernando Ulrich, economista defensor do Bitcoin. Para ele, a falta de uma política cambial clara está diretamente ligada à inflação dos alimentos.

Nesta segunda-feira (28), ele voltou a criticar a desvalorização do real enquanto o dólar cai no mundo.

Para ele, um dos motivos da subida é o recente anúncio do Renda Cidadã. O programa que visa substituir o Bolsa Família será criado, entre outros, com recursos de precatórios.