Em meio à pandemia de coronavírus, os governos mundiais decidiram que não há efetivamente nenhum limite para a impressão de dinheiro. Isso foi confirmado recentemente por uma declaração do Bank of America.

Uma grande recessão parece certa em meio ao pânico do mercado global. À medida que a situação do coronavírus se agrava, muitas instituições e governos importantes pedem efetivamente “sem limite” aos gastos para remediar as consequências. O resultado pode ser uma mudança permanente na nossa compreensão do dinheiro.

‘Sem Limite’ Para Gastos Com Estímulos

Com as consequências econômicas dos bloqueios se tornando mais severas , as principais instituições estão agora reivindicando que o estímulo econômico não deve essencialmente ter nenhum limite.

Em uma declaração feita pelo Banco da principal economista americana Michelle Meyer, ela diz que “estamos declarando oficialmente que a economia entrou em recessão”. [The Hill] Isso sem dúvida não é surpreendente; no entanto, foi o seguinte comentário que deve chamar a atenção de todos:

“No que diz respeito à resposta política, não deve haver limite superior para o tamanho do estímulo, em nossa opinião.”

Essa é uma declaração notável vinda de uma das maiores instituições financeiras do mundo. Essencialmente, até que isso termine, o governo pode efetivamente usar o máximo de dinheiro necessário – mesmo que esse dinheiro nem exista, ao que parece.

Se isso continuar por meses, não é inimaginável supor que isso possa facilmente se tornar o ‘novo normal’. Com o Federal Reserve agora fornecendo $ 1T em empréstimos diários de curto prazo para o mercado de recompra, parece que agora as restrições monetárias são efetivamente inexistentes. [Street Insider]

Uma Alternativa Deflacionária

Quando toda essa pandemia de coronavírus for resolvida, os governos do mundo terão dívidas a pagar. Além disso, muitas moedas podem sofrer sérias pressões inflacionárias. Por isso, é necessário que haja limites monetários, como uma moeda deflacionária. Isso é o que precisamos para termos soberania financeira.

O Bitcoin nos fornece uma solução simples, mas ainda tem que se provar globalmente. Até agora, houve algum otimismo sobre a principal criptomoeda dissociar-se do mercado de ações. No entanto, ainda é muito cedo para afirmar. O Bitcoin nunca experimentou uma recessão antes, então uma previsão é quase impossível.

O que é certo, porém, é que essa crise nos forçará a enfrentar os fundamentos de como vemos o dinheiro e o valor. É por isso que o Bitcoin, em última análise, precisa fazer parte da conversa.

Para manter-se informado, tendo a sua disposição conteúdo constante e de qualidade, não deixe de acompanhar nosso site. Aproveite e faça parte da nossa página de criptomoedas no Twitter.