Empresário de Bitcoin Pode Estar Envolvido em Morte de Modelo que Caiu de Prédio

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Investigação é reaberta depois que família da jovem pede para que caso seja revisto pela justiça.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Uma reviravolta acontece no caso da modelo que caiu de um prédio na Malásia e pode envolver um empresário de Bitcoin. Segundo acusação, a jovem Ivana Smit foi assassinada. Até então, todos acreditavam que Smit teria morrido ao cair acidentalmente do 20° andar de um prédio.



A pedido da família da modelo de 18 anos, a investigação sobre o caso está sendo retomada. Ivana Smit morreu em 2017 depois de ser vista no apartamento do empresário de Bitcoin norte-americano Alexander Amado Johnson, 45.

Desde então, a morte da modelo era encarada como um acidente. Mas, com as investigações retomadas, a jovem pode ter sido assassinada, afinal. A reabertura do inquérito apresentará novas informações sobre o caso.



Empresário de Bitcoin festejava com modelo que morreu

A modelo que morreu estava no apartamento de Alexander Amado Johnson. O empresário de Bitcoin participava de uma festa íntima a três, com a presença de Ivana Smit e da esposa do empresário, conhecida como Luna, 32.

Ivana estava em um prédio na Malásia, especificamente em Kuala Lampur. Até aquele momento, o casal afirmou que não tinha nenhum envolvimento com a morte da modelo holandesa. A investigação inicial sugeria que a mulher morreu enquanto os dois norte-americanos dormiam no local do suposto acidente letal.

Porém, isso não impediu que Alexander e Luna fossem presos. Na ocasião da morte, os dois foram detidos pelas autoridades locais. No total, o casal ficou duas semanas atrás das grades antes de serem soltos pela polícia.

Jovem que morreu tinha drogas no sangue

Exames na jovem que morreu revelaram a presença de substâncias ilícitas no sangue de Smit. Uma publicação mostra que a modelo usou drogas como cocaína e anfetamina pouco antes do acidente.

Por outro lado, o casal acusado pelo crime não registrou a presença de entorpecentes em exames clínicos. No entanto, ainda na investigação inicial um médico legista apontou para indício de luta corporal no cadáver examinado.

A mesma tese também é reforçada por outro médico legista da Holanda. Neste caso, o especialista atesta que existiam lesões no corpo de Ivana que foram feitas antes da jovem cair do 20º andar daquele prédio. O corpo da holandesa estava completamente nu ao ser encontrado na manhã do dia 7 de dezembro de 2017.

Caso é reaberto e empresário de Bitcoin pode ser réu

Depois de dois anos em que Ivana morreu a justiça decidiu reabrir o caso envolvendo o empresário de Bitcoin. Na altura da morte da modelo, Alexander Johnson e sua esposa foram inocentados.

Para as autoridades da Malásia, o caso teve um revés que deve indiciar alguém pela morte de Ivana. A investigação retomada sugere que a mulher foi morta por uma pessoa, que ainda não teve o nome revelado pelas autoridades.

Em defesa, o casal alega que a jovem holandesa era “amiga” dos dois que podem responder pelo crime. Os investigados sugerem que Ivana os acompanhou até o apartamento “de bom grado naquela noite”. Com o pedido da família da vítima, o caso reaberto mostrará se o empresário de Bitcoin realmente tem alguma associação com o assassinato.

Você sabia do caso da modelo que morreu ao cair do apartamento de um empresário de Bitcoin? Comente sobre a notícia e compartilhe no Twitter.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Lucas é formado em administração com foco em empresas. Iniciou sua carreira como analista de investimentos para bancos focados no segmento. Após adquirir experiência, em 2015 fundou sua própria startup, focada em gerar tecnologias de segurança para transações financeiras. Concomitantemente, desenvolve seu trabalho e conhecimento financeiro atuando no BeInCrypto, através de análises do setor financeiro de criptomoedas e novas avaliações de novas tecnologias Blockchain pelo mundo.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá