Enquanto Latam afunda, aérea pioneira em Bitcoin fala em alta de 500%

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Latam entrou com pedido de recuperação judicial nos EUA

  • Operação continua, mas situação da unidade no Brasil ainda é incerta

  • Outras áreas vivem bom momento, incluindo a primeira do mundo a aceitar Bitcoin

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A notícia do pedido de recuperação judicial feito pela Latam nos Estados Unidos agita o mercado nesta terça-feira (26). As ações da companhia área despencam na bolsa de Nova York e há apreensão sobre a situação da unidade no Brasil. Em meio à turbulência, a primeira empresa do setor a aceitar Bitcoin comemora números recentes.



A Latam diz que a crise do coronavírus motiva o pedido. No documento, divulgado nesta terça-feira, a empresa diz que “anuncia reorganização para garantir sustentabilidade no longo prazo”.

Enquanto isso, as ações da Latam na bolsa de Nova York caem próximo de 40%. Vale lembrar que os papeis da companhia não são negociados na Bovespa desde 2016. Na época, a companhia citou que o volume não era representativo frente a outros mercados.



Dessa forma, o desempenho da Latam no exterior não deverá afetar o Ibovespa hoje. A bolsa brasileira vem de forte alta com ganhos diversificados. A Via Varejo, que fechou compra de fintech que usa criptomoedas para empréstimos, liderou a subida.

Aéreas em alta, inclusive a pioneira do Bitcoin

Ao mesmo tempo em que a Latam passa por crise, demais ações do setor sobem na bolsa americana. Nas negociações antes da abertura do pregão, a United Airlines subia 7,48%, American Airlines ganhava 6,39% e a Delta Airlines ia a 6,79%.

Além disso, também comemora a AirBaltic, uma low cost europeia com sede na Letônia. Na segunda-feira (25), a empresa anunciou um aumento de 500% na reserva de voos. Segundo a companhia, foram 13 mil novos agendamentos em apenas uma semana. O crescimento se refere ao começo de maio.

A área ficou famosa em 2014, quando se tornou a primeira do mundo a aceitar pagamento de passagens com Bitcoin. Na época, a companhia figurava entre as 10 mais inovadores do mundo no setor. Aceitar Bitcoin, portanto, seguia essa tendência. A oferta de pagamento em criptomoeda se mantém até hoje.

Os preços dos bilhetes são mostrados em euros na busca. Ao selecionar o pagamento em Bitcoin, o sistema converte o valor em BTC utilizando a taxa atual na processadora parceira Bitpay. É possível comprar passagens com Bitcoin até mesmo nos voos em promoção. A única exigência para aproveitar pagamento em criptomoeda é agendar o voo com cinco dias de antecedência.

Paira dúvida sobre pedido de recuperação da Latam Brasil

O pedido da Latam feito às autoridades dos EUA ainda não é acompanhado pelas unidades na América Latina. A empresa disse que, por enquanto, está em discussão com o governo brasileiro. A companhia busca suporte financeiro às operações.

Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, chegou a aventar a possibilidade de resgatar áreas em meio à crise. Entretanto, o clima de incerteza voltou quando o vídeo da reunião ministerial mostrou Guedes dizendo que não haveria “molezinha” para o setor.

Ontem (25), Bolsonaro vetou o trecho de uma emenda na Medida Provisória 907 que isentava aéreas de impostos em leasing de aviões até 2022.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá