Estatísticas mostram otimismo entre investidores de Bitcoin

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Nível de HODL do Bitcoin está alto

  • Investidores não estão dispostos a trocar os seus BTC

  • Além disso, a relação risco/recompensa está alta para a criptomoedaOs investidores de Bitcoin estão otimistas em relação ao desempenho futuro da moeda, mostram algumas estatísticas. Nível de HODL, que é a manutenção de BTC por longos períodos de tempo, está alto. Além disso, o risco do investimento é apontado como baixo.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Os investidores de Bitcoin estão otimistas em relação ao desempenho futuro da moeda, mostram algumas estatísticas. Nível de HODL, que é a manutenção de BTC por longos períodos de tempo, está alto. Além disso, relação risco/recompensa do investimento está benéfica aos investidores.



Algumas estatísticas comprovam, de maneira científica, o que já é possível observar na prática, entre os investidores de criptomoedas: o otimismo em torno do Bitcoin está alto.

Isso acontece porque, através das métricas de mercado, é possível analisar o comportamento dos investidores de BTC, como um todo. Assim, o que se percebe, de maneira ampla, é que os investidores estão segurando as suas moedas.



Além disso, a relação risco/recompensa do investimento em BTC está benéfica aos investidores. Logo, vale entender o que está causando tanta confiança entre os entusiastas.

Lembre-se: no canal da BeInCrypto, você acessa os melhores sinais de trade de forma gratuita! Entre e aproveite!

Há otimismo entre investidores de Bitcoin

61% dos BTC não são movidos há 365 dias ou mais.

Na imagem, retirada da glassnode, é possível observar o movimento do HODL de BTC. Em outras palavras, se nota o quanto os investidores preferem segurar a moeda, ao invés de negociá-la rapidamente.

Assim, cerca de 61% da oferta de Bitcoin existente não foi movida, em mais de um ano. O número impressiona, pois mostra que 6 a cada 10 BTC não saíram dos seus endereços há um ano, pelo menos.

Na sequência, em torno de 44% do total de BTC não foi movido há 2 ou mais anos. Além disso, 30% não foram negociados há 3 ou mais anos.

As estatísticas indicam para o cenário no qual haverá valorização da criptomoeda. Não fosse esse o caso, esses investidores estariam fazendo trade, ao invés de manter os seus BTC.

Risco de reserva é baixo

O risco de reserva do Bitcoin está extremamente baixo.

A métrica é obtida pela divisão do preço do Bitcoin pelo HODL.  Através dessa relação, é possível medir o nível de confiança dos investidores.

Quando a confiança está alta e o preço está baixo, o risco de reserva é baixo; isso significa que é interessante investir na moeda. Por outro lado, quando a confiança está baixa e o preço está alto, a relação fica desfavorável ao investidor.

Velocidade do BTC está baixa

A “velocidade” do Bitcoin decresce, com o passar dos anos. A métrica é obtida da divisão do volume de transações, em USD, pela capitalização de mercado da moeda. No caso, a relação mostra que os investidores não estão dispostos a gastar os seus BTC.

BTC está saindo das Exchanges

O balanço de Bitcoin nas Exchanges está caindo drasticamente em 2020, conforme já apurado pelo BIC. Essa tendência demonstra a falta de interesse dos investidores em negociar as suas criptomoedas. Além disso, há desconfiança em relação à capacidade das Exchanges de armazenar os Bitcoins com segurança.

Finalmente, na thread do Rafael Schultze-Kraft, é possível analisar o otimismo entre investidores de Bitcoin, através de outros gráficos (em inglês).

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Nicolas se formou em Direito pela Universidade Federal do Paraná e é pós-graduado em Gestão de Negócios Internacionais. Atualmente, cursa Jornalismo na FAPCOM. Escreve sobre economia, política e história há alguns anos. Em 2017, após entrar em contato com a tecnologia blockchain, se entusiasmou com o seu potencial e passou a estudar as aplicações da tecnologia aos diversos setores da economia. Seu foco está em discutir as melhores maneiras de alavancar o desenvolvimento nacional através do uso do blockchain e das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá