Ethereum pode ter a capacidade de transações por segundo aumentada

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Mineradores estão votando para aumentar o Block Gas Limit do Ethereum

  • Medida pode aumentar o número de transações processadas por segundo pela rede ETH

  • Blockchain do ETH é a base para a maioria das altcoins relevantes

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A rede Ethereum, que é a base para a maior parte das criptomoedas existentes no mercado, está passando por uma votação dos mineradores para ter sua capacidade de transações por segundo aumentada. Votação eleva o limite de “combustível” no bloco de Ethereum, de 10.000.000 para 12.500.000 gwei.



Os mineradores de Ethereum estão realizando uma votação na rede. O objetivo é decidir sobre o aumento do limite de “combustível” por bloco minerado.

Vale lembrar que o termo “gas”, do inglês, significa combustível em português. No caso da rede Ethereum, o gas mede o esforço computacional para a realização de tarefas, incluindo a mineração.



Dessa maneira, a votação permite que o limite de combustível passe de 10.000.000 para 12.500.000 gwei, num aumento de 25%.

Porém, o aumento pode ter consequências negativas para a segurança da rede blockchain do Ethereum.

Lembre-se: ao acessar o Canal da BeInCrypto no Telegram, você tem acesso gratuito aos melhores sinais de trade de criptomoedas. Confira o grupo neste link!

Ethereum tem capacidade de transações por segundo aumentada

Conforme relatado, a rede Ethereum está passando por uma votação dos seus mineradores:

A tradução fica da seguinte forma:

Os mineradores de Ethereum estão votando para aumentar o limite de combustível dos blocos, de 10 milhões para 12 milhões de gwei. Em teoria, isso significa que a rede Ethereum agora tem a capacidade de manusear aproximadamente 44 transações por segundo, ao invés de 35. Esse é um grande marco para a comunidade!

Dessa maneira, caso a votação seja bem sucedida, a capacidade de processamento de transações será aumentada, o que resulta numa rede mais rápida.

Outra consequência natural da mudança é o aumento do tamanho do bloco e da recompensa dos mineradores. Isso porque eles processarão mais transações em menos tempo.

Vitalik Buterin, o criador do Ethereum, se posicionou favorável à mudança. Porém, conforme ele mesmo disse, foram as altas taxas de transações da rede que o fizeram mudar de ideia, já que ele era contra a mudança há alguns meses.

As taxas altas de transações ocorrem porque a rede está “congestionada”, devido aos diversos projetos que são baseados em Ethereum. Caso a mudança se efetive, os mineradores terão um “alívio”, o que vai abaixar as taxas.

No entanto, essa possível mudança não é bem vista por toda a comunidade Ethereum.

Trade-off vale a pena?

Alguns usuários do Ethereum estão mostrando descontentamento com a mudança promovida pelos mineradores:

De acordo com Péter Szilágyi, “os mineradores não se importam com a saúde da rede a longo prazo, tampouco com ataques DoS“.

Assim, segundo a linha de Péter e outros opositores, o aumento da escala da rede do Ethereum pode causar problemas de segurança.

Nesse caso, a mudança poderia causar problemas:

  • Mais “Uncle Blocks”, que são blocos iguais minerados em duplicidade, o que causa um trabalho desnecessário para os mineradores
  • Bloco maior deixa a rede mais suscetível aos ataques DoS
  • Nodes mais fracos podem deixar a rede, causando uma centralização maior

Agora, é necessário esperar pela decisão dos mineradores para averiguar as consequências da possível mudança.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Nicolas se formou em Direito pela Universidade Federal do Paraná e é pós-graduado em Gestão de Negócios Internacionais. Atualmente, cursa Jornalismo na FAPCOM. Escreve sobre economia, política e história há alguns anos. Em 2017, após entrar em contato com a tecnologia blockchain, se entusiasmou com o seu potencial e passou a estudar as aplicações da tecnologia aos diversos setores da economia. Seu foco está em discutir as melhores maneiras de alavancar o desenvolvimento nacional através do uso do blockchain e das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá