O governo chinês de hoje é conhecido por várias coisas, mas talvez um dos mais proeminentes sejam seus esforços consistentes para manter o controle de seu povo. Ao lançar várias iniciativas, Pequim se esforçou muito para garantir que estivesse de olho em todo o país.

Um dos meios mais ambiciosos pelos quais alcançou esse nível de controle é com um sistema de crédito social. Essencialmente, o governo classificou sua população elegível com base em seu comportamento social e registros públicos, atribuindo-lhes pontuações sociais que determinarão sua capacidade de acessar empréstimos e outros benefícios financeiros.

O sistema de crédito social da China se torna ainda menos liberal

O sistema de crédito foi implementado em fases desde 2009. No entanto, espera-se que uma nova atualização seja lançada este ano e, de acordo com um relatório recente da XinhuaNet, os controles são definidos para ficarem ainda mais apertados no futuro.

Como a XinhuaNet relatou na época, o sistema de crédito atualizado levaria fatores como divórcios ‘falsos’, inadimplência no pagamento de empréstimos bancários, aquisição de vários empréstimos de vários bancos ao mesmo tempo e muito mais em consideração ao distribuir as pontuações.

No entanto, uma das inclusões mais importantes neste relatório é a aplicação de sanções a decisões civis. A fundadora da Primitive Ventures, Dovey Wan, explicou em um tweet recente que o governo fez a definição de decisões civis ambíguas , criando assim uma brecha que permitirá à administração restringir o acesso das pessoas ao crédito como bem entenderem.

Este é o mais recente passo do governo chinês nos últimos meses para usar sua autoridade para aumentar a vigilância e a censura. Em outubro passado, o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação (MIIT) anunciou que havia conseguido com êxito implementar inteligência artificial em sua tentativa de monitorar todos os usuários da Internet no país.

Como o watchdog explicou, seu novo sistema de IA fará referência cruzada dos rostos dos usuários com o banco de dados do governo, ajudando-os a garantir a ausência de qualquer atividade on-line nefasta. Entre outras coisas, agora todas as transações on-line deverão passar pelo reconhecimento facial.

Em sua defesa, o governo alega ter razões para aplicar essas medidas. Desde perfis raciais e violações de direitos humanos a um possível controle de ameaças e segurança na Internet, o regime nunca ficou sem motivos para continuar investigando a vida de seus cidadãos para controlá-los.

Controle de transações de crédito e monitoramento

No entanto, o nível de controle que o governo está alcançando é alarmante e, portanto, vem a necessidade do Bitcoin. A economia chinesa é forte, portanto, a criptomoeda não está sendo usada particularmente como um reserva de valor . No entanto, a capacidade do ativo digital de funcionar como um meio de troca é muito mais necessária no país agora do que nunca.

Ao controlar o acesso ao crédito e monitorar as transações on-line, o governo chinês ganhou o controle de uma parte importante da vida cotidiana – o dinheiro. O Bitcoin pode fornecer uma via para os consumidores chineses reduzirem sua dependência de decretos e se livrarem dos olhares indiscretos do governo. O Bitcoin oferece um nível de anonimato que a China não consegue oferecer, apesar de seus melhores esforços.

As criptomoedas oferecem transferências mais baratas, além de fornecer o mesmo nível de segurança que os usuários esperam das redes de transações tradicionais. Em um mundo onde a maior parte do espaço on-line do país está sendo pesquisada pelo governo, a criptomoeda pode ajudar os cidadãos a manter sua liberdade.

Você acredita a China terá acesso fácil ao Bitcoin em um futuro próximo? Deixe nos comentários a sua opinião! Aproveite para compartilhar no Twitter e no Facebook!

Alice Carvalho

Com formação em ciências e redação, Alice começou a escrever profissionalmente há 7 anos. Desde então, ela tem aprendido, investido e escrito sobre criptomoedas e tecnologia blockchain para algumas das maiores publicações do setor. Atualmente, compõe a equipe de jornalistas Brasil da BeInCrypto.

Seguir o Autor

Quer saber mais?

Entre para o nosso Canal do Telegram e receba sinais de trade, um curso gratuito de trade e comunicação diária com entusiastas de cripto!

Esse site usa cookies.
Clique aqui para aceitar o uso desses cookies. Veja nossa Política de Cookies

We are discussing it in our Telegram Channel

Join

We are discussing it in our Telegram Channel

Join