Exchanges consideram liberar compra programada de Bitcoin via Pix no Brasil

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Banco Central marca data para implementação do Pix agendado.

  • Funcionalidade pode liberar compra programada de Bitcoin.

  • Exchanges brasileiras já estudam possibilidade.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O Banco Central definiu nesta quinta-feira (22) que instituições financeiras devem oferecer agendamento de Pix a partir de setembro. A medida deve impactar também as exchanges de criptomoedas.



A nova exigência valerá para todas as instituições que hoje já são obrigadas a oferecer o Pix.

À reportagem, o Capitual Banco, banco digital que opera as transações em reais para a Binance no Brasil, confirma que será atingido pela regra e que a decisão de liberar ou não a funcionalidade depende da corretora.



Em nota, a exchange diz que está “avaliando a implementação para os usuários brasileiros. Acompanharemos a demanda do mercado, sempre visando a melhor experiência para os clientes.”

A exchange Foxbit também diz que entra no rol de empresas que deverão seguir as novas diretrizes do Bacen em relação ao Pix.

A expectativa é que a novidade abra caminho para permitir a compra programada de criptomoedas no Brasil. Por meio de depósito agendado via Pix, o saldo poderia ser adicionado à conta periodicamente para aquisição de Bitcoin e outros criptoativos com frequência.

Segundo o CEO da Foxbit, João Canhada:

“Compra fácil recorrente é um tema que já debatemos internamente, mas era de difícil implementação. O Pix pode beneficiar esse novo produto.”

Já a BitcoinTrade, corretora adquirida pela argentina Ripio no começo do ano, também afirmou que será impactada pela mudança. A empresa, no entanto, não pretende, ao menos por ora, automatizar o processo de compra de criptomoedas.

Bernardo Teixeira, CEO da BitcoinTrade, disse que a eventual oferta de depósitos programados não irá alterar a forma ou o prazo de aprovação e identificação dos depósitos feitos na corretora.

“Do nosso lado, só podemos dar início ao processo, a partir do momento em que o saldo constar nas nossas contas e, em paralelo, tiver sido criada a intenção de depósito na plataforma”, explica.

Pix agendado

O agendamento de Pix é uma funcionalidade do sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central que consiste na programação de pagamentos em uma data futura por meio da conta bancária do titular.

A ideia é que o consumidor possa escolher datas específicas nas quais desejar realizar um determinado pagamento e deixar a transferência pré-definida no aplicativo do banco. Um pagamento do tipo também poderá ser ativado mediante leitura de QR Code.

Para o investidor de criptomoedas, a novidade pode trazer a possibilidade de agendar depósitos em corretoras todo dia 05 de cada mês, por exemplo, assim que o salário cai na conta.

Já a compra automática de criptomoedas, algo que já existe nos EUA, poderia ser implementada mediante um mecanismo a ser desenvolvido pelas exchanges.

O Pix agendado já era previsto pelo Bacen desde a implementação do sistema de pagamentos, mas ainda não foi tornado obrigatório. Inicialmente, o recurso deveria estrear em maio, mas o BC adiou para 1º de setembro.

Até lá, todas as instituições financeiras com pelo menos 500 mil clientes, as mesmas que são obrigadas a oferecer o Pix, deverão passar por um processo de adaptação.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá