Fintech vai usar blockchain para melhorar condições de trabalho de pequenos agricultores no Rio

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • A Moeda Semente anunciou a expansão para o Rio de seu projeto blockchain focado na agricultura familiar.

  • A ideia é criar um centro de logística para ajudar pequenos agricultores a comercializar seus produtos.

  • A fintech é a criadora da única criptomoeda brasileira listada na Binance, a Moeda (MDA).

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A Moeda Semente, uma fintech brasileira de blockchain que desenvolve soluções de impacto social, planeja agora usar a tecnologia em favor da agricultura familiar.



A ideia do projeto é implementar um centro de logística e distribuição no estado do Rio de Janeiro para ajudar os agricultores familiares da região a comercializar seus produtos.

Esta é a fase 2 do Projeto Semente VVIDAA, iniciativa que engloba um marketplace onde pequenos agricultores podem vender seus produtos orgânicos. 



Neste caso, o blockchain entra para automatizar as operações das cooperativas e garantir a transparência no repasse de pagamentos entre os produtores.

De acordo com a fundadora da Moeda Semente, Taynaah Reis, cerca de 272 famílias podem ser impactadas pelo novo centro de distribuição.

“O Rio de Janeiro tem características únicas e criar uma ferramenta que apoie o produtor local cumprirá o propósito da Moeda Semente, que é gerar impacto social e garantir melhores condições para micro e nano produtoras e empreendedoras.”

A iniciativa acredita que o novo marketplace pode ajudar os produtores a construir e posicionar suas marcas de produtos, ganhando visibilidade na região onde atuam e consequentemente, aumentando sua renda.

Segundo Reis, o projeto vai fornecer apoio técnico e estrutural para melhorar as condições de trabalho das famílias agricultoras parceiras.

Rio de Janeiro inaugura fase de expansão 

A expansão para o Rio de Janeiro representa a segunda fase do projeto VVIDAA, que já está em funcionamento no Distrito Federal desde 2019.

Na fase inicial do projeto, a Moeda Semente queria criar um marketplace específico para conectar agricultores familiares e os consumidores da região. Anteriormente, a iniciativa recebeu um investimento de R$80 mil de 31 “Semeadores de Impacto”.

Para implementar o novo centro de logística no Rio de Janeiro, no entanto, o projeto quer angariar R$ 250 mil. A Moeda Semente aceita doações a partir de R$ 25 através da página do projeto ou na MoedaPay, um aplicativo de pagamentos da fintech que aceita criptomoedas como Bitcoin

Aliás, quem deseja apoiar também pode doar com o token nativo do projeto, a Moeda (MDA). Essa é a criptomoeda brasileira de maior volume no mercado. Além disso, é única listada na Binance, a maior exchange do mundo.

Em seguida, o projeto vai tentar repetir a experiência em outros estados, entre eles São Paulo, Ceará, Minas Gerais e Goiás. 

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Saori Honorato é jornalista e para o BeInCrypto escreve sobre os principais acontecimentos do universo das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá