Fintechs Querem Dominar a Tecnologia Blockchain no Brasil

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Pesquisa revela que quase metade dos negócios quer aprender sobre tecnologia que dá vida ao Bitcoin.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A blockchain está entre as tecnologias que a maioria das fintechs no Brasil pretendem dominar. Uma pesquisa realizada pela (ABFintechs) mostra que existe um grande interesse dos negócios em quase metade das empresas que estão sendo criadas no país.



No futuro, grande parte das fintechs devem utilizar a tecnologia blockchain. Ou pelo menos desejam dominar essa novidade que pode ser integrada em novas empresas que surgem a todo instante no mercado.

Especificamente no caso do Brasil, as fintechs de várias áreas demonstram interesse em aprender mais sobre a tecnologia que dá vida ao Bitcoin. Além da blockchain, outros lançamentos devem fazer parte do futuro das fintechs brasileiras.



Blockchain vai dominar fintechs

O ano termina com uma década de ascensão para a tecnologia blockchain. Há dez anos atrás essa novidade era completamente desconhecida. Ainda “engatinhando” em sua integração em outros setores, pelo menos nas fintechs o futuro é certo: a blockchain deve dominar.

A pesquisa realizada pela empresa de consultoria PwB traz um levantamento sobre o cenário de inovação tecnológica no Brasil. Conforme mostram os dados, 44% de todas as fintechs desejam dominar a tecnologia blockchain em um futuro próximo.

Depois de uma década de lançamento, a tecnologia blockchain é capaz de conseguir uma maior consolidação em 2020. Por outro lado, as fintechs brasileiras também elegeram outras tecnologias que devem fazer parte de seus negócios, como:

  • Inteligência Artificial (48%)
  • Machine Learning (46%)
  • Data Analytics (29%)
  • Biometria e Gestão de identidade (24%)

Maioria de fintechs é de meios de pagamentos

O Valor Econômico mostra que foram ouvidas 500 fintechs que atuam no mercado brasileiro. A pesquisa idealizada pela Associação Brasileira de Fintechs mostra informações sobre a área que predomina as atividades dos novos negócios.

Os meios de pagamentos representam a maior parte das fintechs existentes no país. Ou seja, 22% delas são voltadas para este tipo de atividade. Enquanto isso, sistemas de financiamento de crédito e dívidas aparecem com 21% do total de fintechs que participaram da pesquisa.

Os bancos digitais correspondem ao terceiro setor onde mais existem fintechs por aqui. Neste caso são 10% dela, sendo que Seguros representam 4% do total e outros segmentos 28%.

Outro dado que revela como anda o faturamento das empresas aponta que 30% delas estão faturando até R$ 350 mil anualmente. E São Paulo é o estado que mais concentra inovações deste tipo. Somente neste estado estão 57% de todas as fintechs que existem no país.

O estudo evidencia que muitas fintechs pelo país conseguiram erguer seus negócios sem muito investimento. São 47% delas que não precisaram de apoio financeiro para tornar o negócio realidade.

E parece que a internacionalização da companhia é o desejo de grande parte das fintechs no Brasil. Os dados elucidam que 63% dos negócios já atuam ou desejam atuar de forma internacional, além de dominar a tecnologia blockchain.

De que forma você acha que o interesse das fintechs brasileiras na tecnologia blockchain pode influenciar no Bitcoin? Deixe seu comentário e compartilhe no Facebook.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá