Fundos de criptomoedas seguem tendência de alta e faturam até 43% em janeiro

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Janeiro foi novamente positivo após 2020 com avanço de até 343% nessa modalidade.

  • Fundos que alocam 100% em criptoativos foram novamente mais bem-sucedidos.

  • Fundo da Hashdex entrega outra vez a maior rentabilidade entre as opções brasileiras.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Fundos de criptomoedas continuam entregando alta rentabilidade após ano com valorização de até 343%; veja os números das gestoras brasileiras.



Os fundos de criptomoedas disponíveis para brasileiros voltaram a entregar fortes ganhos, seguindo a alta vista em 2020. Após rendimento que chegou a 343% no ano passado, essa modalidade de investimento cresceu novamente no primeiro mês de 2021.

Assim, o fundo com maior rentabilidade do mês foi o Voyager, da Hashdex, com alta de 43,4%. Trata-se do mesmo fundo que obteve o melhor resultado durante todo o ano passado. O número reflete diretamente o desempenho do índice HDAI, o primeiro criado pela Hashdex em parceria com a Nasdaq.



O segundo foi anunciado nesta terça-feira (9): o Nasdaq Crypto Index (NCI), que além disso é referência do primeiro ETF de criptomoedas do mundo.

Segundo a gestora, o índice chegou a entrar mais rentabilidade que o Bitcoin nos primeiros dias de janeiro. A composição com ETH foi uma das principais responsáveis, de modo que o rali da criptomoeda, portanto, impulsionou os resultados.

O bloco seguinte traz números bem próximos. Em segundo lugar em janeiro aparece o VTR QR CRIPTO, da QR Asset e da Vitreo, com 38,69% rentabilidade no período. Ele é seguido pelo QR Blockchain Assets FIM IE, também da QR Asset, com avanço de 38,68% no mês.

Na sequência vêm o Genesis Block Fund, com 38,4%, e o BLP Crypto Assets FIM, um dos campeões de 2020, com alta de 38,1% em janeiro de 2021. Ambos são da BLP Asset e alocam 100% dos recursos em ativos digitais.

Por fim, a lista dos fundos mais rentáveis de janeiro fecha com o TSAG Advanced Fund, da Transfero Swiss. O fundo da gestora brasileira com sede na Suíça alcançou rentabilidade de 33,49% no primeiro mês do ano.

Rentabilidade dos fundos de criptomoedas de gestoras brasileiras em janeiro de 2021

Veja, a seguir, os resultados de janeiro de 2021 para os fundos de criptomoedas disponibilizados por gestoras brasileiras. Os números aparecem nas cartais mensais ou foram fornecidos ao BeInCrypto diretamente pelas empresas. Eles, portanto, não levam em conta os números de monitores automatizados de mercado.

FundoGestoraAlocação em criptoResultado em janeiro de 2021
Genesis Block FundBLP Asset100% em ativos digitais38,4%
BLP Criptoativos FIMBLP Asset20% em criptomoedas7,3%
BLP Crypto Assets FIMBLP Asset100% em criptomoedas38,1%
DiscoveryHashdex20% em criptomoedas9,4%
ExplorerHashdex40% em criptomoedas18,9%
VoyagerHashdex100% em criptomoedas43,4%
VTR QR CRIPTOQR Asset e Vitreo100% em criptoativos38,69%
QR Blockchain Assets FIM IEQR AssetAté 100% em
criptoativos
38,68%
TSAG Counter Cyclical FundTransfero Swiss25% em Bitcoin1,66%
TSAG Advanced FundTransfero SwissGestão ativa33,49%
TSAG Conservative FundTransfero SwissArbitragem de Bitcoin0,92%
Cripto Metals BlendVitreo20% no VTR QR CRIPTO9,29%

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá