GenBit é Acusada de Crime de Estelionato com Bitcoin

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Cliente da plataforma acusa empresa de prática criminosa no mercado de criptomoedas.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Uma investidora de bitcoin acusa a empresa GenBit de praticar o crime de “estelionato”. Segundo a denúncia apresentada na Justiça de Amparo – SP, a empresa de investimentos possui um débito com a cliente desde julho de 2019.



Sem receber rendimentos ou seu capital, a usuária decidiu procurar a justiça contra a GenBit. Ela mostra que foi atraída pelo negócio com a promessa de lucros mensais a partir de transações com o bitcoin.

A GenBit está inadimplente praticamente desde a entrada no esquema da cliente que move o processo. Somente por um mês os pagamentos aconteceram. Nesse caso, o valor referia-se a 15% daquilo investido por ela.



Cliente da GenBit recebeu só um mês

Tudo começou em 2019, quando a cliente da GenBit depositou dinheiro para a empresa. O depósito de R$ 26.600,00 aconteceu em julho daquele ano. O valor seria utilizado em um pacote de vantagens em investimento em criptomoedas como o Bitcoin.

Como promessa, a investidora narra que deveria receber 15% mensalmente. Ou ainda 1.125 pontos dentro daquele pacote de vantagens. No total ela aplicou 7.500 pontos para receber uma quantia fixa todos os meses referente a lucro.

A usuária explica que seriam pagos R$ 3.397,50 todos os meses, durante três anos. No entanto, não foi isso que aconteceu. Apenas os rendimentos do mês de julho foram quitados. Sendo assim, a GenBit está inadimplente com essa cliente desde então.

Bitcoin em troca de criptomoeda

32

Mesmo com pagamentos em atraso, um anúncio de outubro parece não ter agradado a proponente do processo. Naquele mês, a GenBit alterou a forma de pagamento de seus investidores.

Isso supostamente aconteceu sem aviso prévio, ou consulta de quem fazia parte do esquema. Com essa mudança, o saldo que antes era em bitcoin passou a ser em TPK, uma criptomoeda criada pelo grupo em que a GenBit faz parte.

Se não bastasse, os pagamentos estão bloqueados, de acordo com denúncia da investidora. Dessa forma, os clientes devem receber apenas em março de 2020, e não será em bitcoin.

“No final do mês de outubro a ré, unilateralmente, mudou suas estratégias de pagamentos informando a quitação do contrato firmado entre as partes, pela transformação do produto bitcoin para token TPK”.

Se não comprar também não leva

De repente os usuários da GenBit deixaram de possui saldo em bitcoin. É que os valores foram transformados na criptomoeda TPK.

Com suposto lastro no preço do dólar norte-americano, a TPK foi criada pelo grupo em que a GenBit faz parte.

A autora da ação explica que os pagamentos em TPF devem depender de procura no mercado para que seja liquidado. Se ninguém procurar a moeda digital pode ser que clientes fiquem com saldo sem utilidade.

A investidora de Amparo – SP que acusa a GenBit de crime de “estelionato” conseguiu a aprovação de um pedido de arresto de bens. Esse pedido permitirá que dinheiro seja bloqueado em nome da Gensa Serviços Digitais, que corresponde a GenBit.

A justiça determinou o bloqueio de R$ 23.202,50, sendo que a usuária já recebeu R$ 3.397,50. Por outro lado, o valor total da ação está fixado em R$ 47.250,00 conforme mostram os autos do processo envolvendo atraso de repasses em bitcoin.

Qual sua opinião sobre a atuação da GenBit no mercado de bitcoin? Comente sobre a decisão da justiça e compartilhe no Twitter.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá