GenBit Obriga Cliente a Trocar Bitcoin por Criptomoeda Desconhecida

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Denúncia contra negócio de criptomoedas é feita em processo que pede bloqueio de bens.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A maior parte da capitalização do mercado de criptomoedas está voltada para o Bitcoin. É nela que muitos investidores apostam e acreditam em algum retorno após uma enorme valorização.



A preferência pelo Bitcoin pode ser vista pela capitalização total do mercado, onde essa moeda digital corresponde a 66% de todo o volume que existe. Enquanto grande parte dos usuários prefere o Bitcoin, outros gostam mesmo é de altcoins.

Cada um pode livremente decidir onde alocar seu investimento, graças a compra, venda e troca de criptomoedas no mercado. Mas esse não é o caso de uma cliente da GenBit.



Ela conta que a empresa de investimentos está “obrigando” os usuários a trocarem o saldo de Bitcoin. Nesse caso, a troca forçada seria por uma criptomoeda desconhecida, criada pelo grupo que controla o negócio.

Acusada de trocar saldo de Bitcoin

A GenBit está sendo acusada de obrigar uma cliente a trocar seu Bitcoin por uma criptomoeda completamente desconhecida no mercado. A ação da plataforma está sendo denunciada através de um processo movimentado pela Justiça do Paraná, na Comarca de Arapoti.

A mudança do saldo na plataforma é vista como uma “quebra de contrato” entre as partes. A investidora, defendida pelo escritório de advocacia Parodi Kassin, explica que além do saldo ser transformado, saques em atraso também fazem parte dos problemas do negócio.

“Estão obrigando todos os consumidores/investidores a trocar os seus bitcoins pela moeda criada pela Genbit sem prestar esclarecimentos precisos, ou seja, se a moeda será aceita no mercado em flagrante quebra de contrato.”

Cliente comprou pacote Connection 7500 da GenBit

A usuária de Arapoti – PR começou a investir na GenBit em setembro de 2019. Naquele mês ela adquiriu um “pacote de vantagens” relacionado a empresa. Ou seja, a promessa era basicamente a mesma que em outros casos.

Com esse pacote, os clientes dobrariam o capital ao investir no negócio. Esse lucro seria pago ainda em 36 prestações. No caso da cliente que move o processo, o pacote adquirido é o Connection 7500.

No total foram investidos R$ 26.590,00 pela usuária que pede o bloqueio de bens em nome da GenBit. A decisão sobre a petição inicial mostra que a justiça deferiu o pedido para bloqueio de dinheiro em contas em nome da empresa.

Criptomoeda TPK-R é desconhecida

Os investidores que fazem parte da GenBit esperam apreensivos para receber da plataforma. Segundo programa de pagamentos do negócio, em março de 2020 esses pagamentos devem ser retomados.

Sem muita escolha, os usuários devem receber em TPK-R, a criptomoeda desconhecida criada pelo grupo em que a GenBit faz parte. Um dos primeiros problemas com esse projeto está em sua liquidez. Parece que a liberação de troca da moeda digital acontecerá de forma gradual. Ou seja, uma liquidez controlada.

Não aceitando a troca forçada de Bitcoin por essa criptomoeda que ninguém conhece, uma investidora do esquema decidiu procurar seus direitos perante a justiça. Como resultado ela conseguirá bloquear mais de R$ 26 mil em contas da GenBit.

Até o fechamento deste artigo a GenBit não havia se posicionado sobre o processo em questão.

Faça parte da nossa página de criptomoedas no Twitter. Assim ficará por dentro das últimas notícias sobre criptomoedas e blockchain acontecendo no Brasil e no mundo.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá