Hacker Exige Bitcoin Como Resgate Depois de Invadir Computadores de Prefeitura em SP

Compartilhar Artigo

Um hacker exigiu Bitcoin como resgate para “libertar” os computadores da prefeitura de Barrinha – SP. Os equipamentos foram atacados pelo criminoso que passou a controlar o sistema digital de toda a cidade. Com o ataque, a prefeitura teve problemas até para pagar salários de servidores.



O caso foi televisionado pela EPTV e mostra que os computadores tiveram seus dados completamente criptografados. Desse modo, a prefeitura de Barrinha – SP não podia acessar nenhuma informação nos equipamentos. Para liberar os computadores, o hacker exigia um pagamento em Bitcoin.

Criminoso exige Bitcoin como resgate pelos computadores

Quinze computadores da prefeitura de Barrinha – SP foram atacados com a invasão hacker ao sistema local. Os equipamentos faziam parte da base de dados da autarquia, que enfrentou sérios problemas depois que o “sequestro” dos computadores foi identificado.



Segundo a investigação sobre o caso, foi exigido um pagamento de R$ 7 mil em Bitcoin. Esse valor corresponde a cerca de 0.19 (BTC), que deveriam ser entregues ao criminoso.

A mensagem do hacker estava em inglês e a prefeitura de Barrinha – SP acionou a Polícia Civil para solucionar o caso. De acordo com a denúncia, foi registrado o crime de extorsão contra a prefeitura da cidade do interior de São Paulo – SP.

Prefeitura fica sem pagar salários após invasão hacker

A prefeitura de Barrinha – SP enfrenta problemas para pagar os salários de 1.500 servidores municipais. Sem acesso aos quinze computadores atacados, o sistema de dados da cidade está totalmente inacessível.

Os computadores permitiam, até então, acesso as folhas de pagamentos dos servidores com pagamentos em atraso. Para a prefeitura, os pagamentos devem ser normalizados nesta quarta-feira (06).

Segundo entrevista da prefeita da cidade, Maria Emília Marcari, parte dos pagamentos serão realizados mesmo com os computadores sequestrados. Portanto, o pagamento de parte dos servidores da área da educação, por exemplo, já está sendo feito pela prefeitura de Barrinha – SP.

De acordo com o delegado que investiga o caso, Rodrigo Pimentel Bortoleto, o golpe do hacker deve ser de outro país. O delegado suscitou que casos semelhantes ao da cidade paulistana já foram denunciados.

“Tivemos notícia de que há outros casos em outras cidades. Então nós vamos entrar em contato com a Polícia Civil atuante nestes municípios.”

Além de pagamentos em atraso, a prefeitura de Barrinha – SP vive um enorme problema com o ataque hacker que exige Bitcoin. A emissão de outros documentos também está paralisada na cidade, como certidões, alvarás e até notas fiscais.

Prefeitura espera por respostas de empresa especializada

O ransomware que atacou a cidade do interior de São Paulo ainda não liberou os equipamentos afetados. A prefeitura de Barrinha – SP decidiu por não pagar em Bitcoin pelo resgate dos equipamentos.

Como a alternativa de pagamento pelo resgate foi descartada, a autarquia procurou então uma ajuda especializada para tentar conter o problema, que paralisou as atividades da pequena cidade paulistana.

Os quinze computadores deixaram o interior do estado e já estão na capital, São Paulo – SP. Os servidores municipais enviaram os equipamentos para uma empresa especializada neste tipo de ataque hacker.

Espera-se que o problema seja resolvido pela empresa de Tecnologia da Informação (TI) contratada pela prefeitura, para “libertar” as máquinas que foram “sequestradas”.

Você conhece algum caso de computadores que foram “sequestrados” e o Bitcoin foi exigido como “resgate”? Comente sobre esta notícia e não se esqueça de compartilhar no Twitter!

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Lucas é formado em administração com foco em empresas. Iniciou sua carreira como analista de investimentos para bancos focados no segmento. Após adquirir experiência, em 2015 fundou sua própria startup, focada em gerar tecnologias de segurança para transações financeiras. Concomitantemente, desenvolve seu trabalho e conhecimento financeiro atuando no BeInCrypto, através de análises do setor financeiro de criptomoedas e novas avaliações de novas tecnologias Blockchain pelo mundo.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá