IBOV recupera, Dólar cai e Bitcoin enfim volta a passar de US$ 11 mil: resumo da semana

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • IBOV fecha sexta-feira com nova queda, mas acumulado zera perdas da última semana

  • Apoiado pela expectativa de novo estímulo nos EUA, dólar volta a cair ante real

  • Já o Bitcoin, ainda correlacionado ao mercado tradicional, volta a passar de US$ 11 mil

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A semana foi de recuperação nos mercados puxada principalmente pelos ânimos no exterior. A retomada de conversas de novo estímulo nos EUA deu o tom.



O índice fechou a sexta-feira (9) em leve queda após ganhos de 2,5% na quinta-feira (8), mas sobe na semana. Já o dólar voltou a cair e o Bitcoin segue aparentemente correlacionado a mercados tradicionais, engatando nova subida para US$ 11.000.

Confira o resumo da semana do IBOV, dólar e Bitcoin.



Ibovespa fecha em queda, mas recupera semana ruim

O IBOV iniciou a segunda-feira em 94.137 pontos após queda de 2,95% na semana anterior. Após fechar o dia em alta, oscilou ao longo da semana entre os 94.000 e 96.000 pontos. Na quinta-feira (9), seguindo ventos otimistas do exterior, o índice subiu 2,5% e fechou em 97.920 pontos.

Nos EUA, a retomada da discussão de um novo pacote de alívio econômico estimulou os investidores, com impacto no Brasil. Além disso, boas perspectivas de lucros dos bancos puxaram os ganhos do dia.

Já na sexta-feira (9), o mercado voltou a ficar cauteloso. O IBOV abriu em queda por uma correção dos preços de papeis de bancos. No entanto, outro motor foi a possibilidade de revisão da nota de crédito do Brasil pela S&P Global Ratings. Perdas em ações da Petrobrás também ajudaram no movimento.

O índice fecha a sexta-feira (9) em leve queda de 0,42% para 97.505 pontos. No entanto, o índice praticamente zera as perdas da semana anterior, com alta de 3,7% no acumulado.

Ânimo no exterior faz dólar cair a R$ 5,52

O otimismo entre investidores também impactou no dólar. O crescimento da bolsa elevou investimentos em reais e, ao mesmo tempo, a moeda americana enfraqueceu levemente no resto do mundo. Às 17h, o índice DXY registrava 0,59% negativos.

O dólar começou a semana em queda, indo de R$ 5,66 a R$ 5,57 no primeiro dia de pregão. No entanto, voltou a subir e recuperou os R$ 5,60 na quarta-feira (9). Na quinta-feira, voltou a ter leve queda, mas engatou descida mesmo na sexta-feira.

O enfraquecimento global do dólar fez a cotação fechar em R$ 5,52, recuo de 2,7% frente aos R$ 5,66 da semana passada.

De olho no estímulo nos EUA, Bitcoin recupera os US$ 11.000

Novamente refletindo ação de investidores institucionais, o Bitcoin voltou a subir apoiado pela expectativa de novo estímulo pelo governo americano. O BTC começou a semana na casa dos US$ 10.600 e oscilou entre US$ 10.700 e US$ 10.500 ao longo da semana. Os ganhos se aproximam de 4% na semana.

A subida começou na quinta-feira, coincidindo com o movimento nos mercados tradicionais. A criptomoeda foi a US$ 10.900 e seguiu subindo na sexta-feira. Nesta tarde, o BTC voltou a passar da marca de US$ 11.000. Segundo o Coingecko, o patamar não era atingido desde 20 de setembro.

No Brasil, os ganhos foram menores por conta da valorização do real frente ao dólar. Às 17h11, o Bitcoin era negociado, em média, a R$ 61.558 nas exchanges brasileiras, segundo o Cointrader Monitor. O valor é apenas 2,3% acima do fechamento da semana passada.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá