IBOV sofre, mas fecha a semana acima dos 100 mil pontos

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • IBOV fecha a sexta-feira e a semana nos 102.888 pontos

  • Preocupações com o COVID-19 marcaram os pregões da semana

  • Novidades sobre uma possível vacina para o COVID-19 podem levantar IBOV na próxima semana

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O IBOV passa por uma semana complicada, devido ao receio da comunidade externa com o coronavírus e os indicadores econômicos. Porém, o índice consegue fechar a semana acima dos 100 mil pontos.



O desempenho da B3 Bovespa é positivo, durante a semana dos dias 13 a 17 de julho.

Felizmente, o receio internacional com a pandemia do novo coronavírus não foi suficiente para arrastar o IBOV para baixo. Além disso, a revelação de alguns indicadores econômicos ajudou o índice a se manter positivo.



Assim, o IBOV fecha a semana em alta, após alguns dias complicados de pregão. Entenda o que aconteceu durante a semana, na bolsa.

IBOV fecha a semana em alta, após dias difíceis

O índice que mede o desempenho das principais ações listadas na B3 Bovespa fechou a semana nos 102.888 pontos.

Dessa forma, o IBOV abriu a segunda-feira nos 100.027 pontos. Porém, o índice terminou o dia em queda e fechou o pregão nos 98.697 pontos (-1,33%). No radar dos investidores, estavam o avanço da COVID-19, na Califórnia, bem como a expectativa por índices da economia americana.

Na terça e na quarta-feira, o IBOV se recuperou de forma branda, voltando aos 100 mil pontos. Porém, na quinta, o IBOV recuou 1,22%, fechando nos 100.553 pontos. Isso aconteceu devido à realização de lucros dos investidores, que estavam à procura de novas empresas para investir.

Finalmente, o último pregão da semana retoma o crescimento, fazendo que o IBOV consiga chegar aos 102.888 pontos.

Crescimento do índice depende de fatores externos

A B3 Bovespa depende do otimismo dos investidores internacionais, nesse momento, para seguir crescendo. No Brasil, o cenário é estável, embora o COVID-19 esteja longe de ser vencido. Ao menos, há relativa estabilidade no número de mortos.

Caso o mercado escute mais notícias positivas sobre uma suposta vacina para o COVID-19, o IBOV vai subir, na semana que vem. Assim, o índice depende da melhora do cenário externo, principalmente nos EUA, para crescer.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Nicolas se formou em Direito pela Universidade Federal do Paraná e é pós-graduado em Gestão de Negócios Internacionais. Atualmente, cursa Jornalismo na FAPCOM. Escreve sobre economia, política e história há alguns anos. Em 2017, após entrar em contato com a tecnologia blockchain, se entusiasmou com o seu potencial e passou a estudar as aplicações da tecnologia aos diversos setores da economia. Seu foco está em discutir as melhores maneiras de alavancar o desenvolvimento nacional através do uso do blockchain e das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá