Ibovespa e Bitcoin caem em meio a novos temores da Covid; dólar vai a R$ 5,30

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Ibovespa cai em meio a temor por novos lockdowns.

  • Dólar também volta a subir e reage a receio por pacote de estímulos menos dos EUA.

  • Bitcoin perde suporte local e é negociado abaixo dos US$ 36.000.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Mercado fecha semana sob receio de novos lockdowns e cenário afeta Ibovespa, dólar e possivelmente o Bitcoin, que cai abaixo dos US$ 36.000.



A primeira quinzena do ano fechou em baixa em meio a novos temores pelo agravamento da pandemia. O Ibovespa caiu mais de 2% e voltou ao nível de 120 mil pontos.

Já o Bitcoin voltou a recuar após falhar em ultrapassar a barreira dos US$ 40.000. Enquanto isso, o dólar passou por alta volatilidade e fechou em alta, a R$ 5,30.



Veja, a seguir, o fechamento de preços do Ibovespa, dólar e Bitcoin nesta sexta-feira (15).

Ibovespa recua e volta para o patamar de 120 mil pontos

O dia foi de cautela no mercado. O Ibovespa recuou 2,29% para 120.649 pontos. A queda veio uma semana depois da máxima histórica atingida no dia 8 de janeiro, quando o índice alcançou mais de 125 mil pontos. Na quinta-feira (14), o Ibov já ia a 123 mil.

O resultado está ligado ao aumento de mortes por coronavírus no mundo e temores por novos lockdowns. Alguns países da Europa voltaram ao confinamento enquanto o mundo já chega a 2 milhões de mortes.

Especificamente no Brasil, também preocupa a situação de Manaus. A calamidade na capital amazonense levanta dúvidas sobre possíveis medidas de confinamento em outras cidades do país.

Dólar cai após ir a R$ 5,50, mas fecha em alta

O câmbio também sofreu os efeitos da cautela nos mercados. O dólar abriu a semana a R$ 5,50, no maior valor desde novembro. A moeda americana, no entanto, voltou a cair ao longo da semana e chegou aos R$ 5,20 na quinta-feira (14). O temor que pairou sobre o mercado na sexta, no entanto, fez o real perder valor novamente, fazendo o dólar ir a R$ 5,30.

Além do receio por novos lockdowns, o câmbio reagiu à notícia de que o pacote de estímulo do governo americano poderá ser menor que o esperado. De iniciais US$ 1,9 trilhão, o pacote poderá ser de US$ bilhões.

Uma redução do estímulo do governo Biden sinaliza que os mercados podem não subir como se esperava, por exemplo. No entanto, a injeção a menor resultaria em uma menor circulação de dólares no mundo. A menor perspectiva de inflação do dólar, portanto, reduziu a expectativa de perda de força da moeda americana.

Bitcoin falha em subir acima de US$ 40.000 e cai abaixo do suporte local

O Bitcoin passa por uma correção de médio prazo segundo analistas. No entanto, a criptomoeda vinha de recuperação nesta semana. Após atingir pouco mais de US$ 34.000, o BTC voltou a tocar nos US$ 40.000. Em seguida, porém, o preço voltou a recuar.

Nesta sexta-feira (15), o Bitcoin caiu abaixo dos US$ 36.700, considerado até então um suporte local. Às 17h50, o BTC era negociado por US$ 35.600, segundo o Coingecko. Já no Brasil, a nova subida do dólar impediu que o BTC caísse para menos de R$ 192 mil, segundo o Cointrader Monitor.

Um dos possíveis motivos também pode ter relação com o dólar. Com um pacote de estímulo potencialmente menor, a menor inflação favorece a moeda dos EUA como reserva de valor.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá