A bolsa brasileira surpreendeu abrindo em alta nesta quinta-feira (21) com Ibovespa indo a 82 mil pontos. A subida, no entanto, vai na contramão do movimento no exterior. Nos EUA, bolsas operam em queda por conta de novas tensões com a China.

A S&P opera em baixa com operadores realizando lucros em meio a novas incertezas. Ontem, os EUA aprovaram nova lei que obriga empresas chinesas a seguirem parâmetros americanos de contabilidade e auditoria.

Além disso, as companhias poderão ser obrigadas a informar sobre eventual ligação com o governo chinês. Por isso, analistas enxergam a possibilidade de remoção de papeis chineses da bolsa de NY.

Para completar, Donald Trump subiu o tom nas críticas à China por conta da crise do coronavírus. No Twitter, o presidente dos EUA disse que “foi a incompetência da China, e nada mais, que causou esse massacre em todo o mundo”.

Participe da nossa Comunidade de Trading no Telegram para acessar sinais exclusivos de negociação, conteúdo educacional, discussões e análises de projetos!

Ibovespa é termômetro para dólar

Esperava-se que a Ibovespa seguisse no mesmo caminho de perdas. Em geral, quedas no exterior apontam aversão ao risco que se alastram por emergentes, forçando subida do dólar. O presidente do Banco Central, chegou, inclusive, a afirmar que há “um espaço amplo de venda de reservas ainda”.

Às 10h40 de Brasília, no entanto, o Ibovespa subia 0,87% aos 82.029 pontos. As ações de Azul e Gol são as duas que mais puxam a alta da bolsa brasileira. A subida tem a ver com a recente fala de Paulo Guedes apontando resgate de aéreas pelo governo. Também ganham Cyrela, CVC e Banco do Brasil.

Dessa forma, há maior entrada de reais e, com isso, a moeda brasileira valoriza frente ao dólar. A moeda americana já caía 1,34%, indo a R$ 5,61.

Bitcoin segue ritmo do exterior

Após dia de câmbios antecipados por conta do feriado em São Paulo, o Ibovespa arrefece o dólar e impacta no Bitcoin no Brasil. Ao contrário do movimento de subida artificial visto nas semanas mais críticas para o real, a criptomoeda hoje segue a curva vista lá fora.

Observações na plataforma TradingView apontam que a curva de preço do Bitcoin em dólares já se aproxima mais da curva em reais. O BTC opera em queda de cerca de 2% no momento, no patamar de US$ 9,3 mil. Além disso, em exchanges brasileiras, o preço médio já cai para menos de R$ 53 mil, segundo dados do Cointrader Monitor.