Investidor com R$ 557 Mil em Bitcoin no Atlas Quantum Pede Força Policial

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Justiça deferiu tutela de urgência, mas empresa não pagou cliente envolvido no processo.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Um investidor com mais de R$ 557 mil em Bitcoin no Atlas Quantum pediu ajuda à força policial para receber da empresa. Segundo o processo judicial, o homem era usuário da plataforma que opera a arbitragem de Bitcoin.



A polícia pode garantir a execução da penhora de bens em nome de uma empresa condenada pela justiça. Sem encontrar dinheiro em contas relacionadas ao negócio, bens físicos como móveis, computadores e carros devem ser confiscados para pagar clientes com pagamentos em atraso.

Polícia Militar pode comparecer a sede do Atlas Quantum

Em um ofício expedido à Polícia Militar, o investidor Rafael Davi solicita a ajuda da “força policial”. O documento foi publicado na última sexta-feira (22) e refere-se a uma tutela de urgência antecipada não cumprida pelo negócio.



O processo é também julgado em segredo de justiça. Os policiais foram requisitados para fazer cumprir a lei, que determinou o pagamento de mais de R$ 557 mil investidos pelo proponente da ação em Bitcoin.

O valor foi solicitado pelo cliente no início do mês de novembro. Porém, desde então o Atlas Quantum não executou com o depósito. Nem mesmo o deferimento de uma tutela de urgência provisória é o suficiente para garantir a devolução do dinheiro do usuário da plataforma.

Empresa de arbitragem de Bitcoin ignora decisão judicial

O Atlas Quantum é conhecido no mercado brasileiro como uma empresa de arbitragem de Bitcoin. No dia 18 deste mês a companhia foi condenada a pagar mais de R$ 557 mil a um investidor. Ou ainda, cerca de 16 unidades de Bitcoin (BTC).

A condenação relacionada ao caso mostrava que o Atlas Quantum deveria realizar o pagamento do Bitcoin em atraso do cliente que move o processo. Porém, parece que a plataforma ignorou completamente a decisão judicial.

A publicação mostra que o depósito de mais de 16 Bitcoin (BTC) deveria ser feito em até 48 horas. Ou seja, até a última quarta-feira (20). No entanto, o negócio notificado pela CVM não cumpriu com o pagamento do valor estipulado pela justiça.

Nem mesmo um pedido de tutela de urgência fez com que o Atlas Quantum tivesse bens bloqueados em mais de R$ 557 mil. A empresa tinha o prazo de apenas dois dias para pagar um investidor com mais de 16 Bitcoin (BTC) retidos.

Justiça determinou também multa diária de R$ 5 mil 

Após o deferimento da liminar, a justiça também determinou o pagamento de uma multa diária para o Atlas Quantum. Nesse caso, a companhia deveria pagar R$ 5 mil por cada dia de atraso na dívida com o cliente. O valor citado acima pode ser acumulado em até R$ 100 mil, neste caso.

Nem multa e nem mesmo o prazo para cumprimento do pagamento fez o usuário receber o que a empresa devia. Desse modo, ele decidiu pela ajuda da Polícia Militar para resolver o caso envolvendo a companhia.

Além de citar o Atlas Quantum, a ação judicial envolve o nome do criador e CEO do negócio, Rodrigo Marques dos Santos. Por outro lado, o nome do ex-sócio da empresa também é mencionado no processo, sendo ele Fabrício Spiazzi Sanfelice.

Não ficou esclarecido como os policiais deverão ajudar no caso envolvendo a dívida da empresa de arbitragem de Bitcoin. O ofício expedido pela justiça pede “requisição de força policial”, que deverá garantir a busca e apreensão de bens em nome do Atlas Quantum.

Você conhece algum investidor com Bitcoin no Atlas Quantum? Comente sobre a notícia do pedido de força policial e compartilhe com os amigos no Facebook.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá