Irã transporta 9 Ton de ouro da Venezuela; transação equivalente em Bitcoin sairia quase de graça.

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • O Irã recebeu o pagamento de 9 toneladas de ouro da Venezuela

  • O transporte foi realizado através de diversos aviões iranianos, numa operação cara e complexa

  • Uma transação equivalente em Bitcoin custaria menos de U$ 3,00

  • promo

    Participe da nossa comunidade gratuita no Telegram e obtenha sinais de trade e análises de criptomoedas todos os dias!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Recentemente, o Irã montou uma mega operação para receber um pagamento em ouro da Venezuela. No total, 9 toneladas de ouro foram transportadas por meio de vários aviões. Transação equivalente em Bitcoin custaria menos de U$ 3,00.

Patrocinados



Patrocinados

O Irã e a Venezuela são aliados de longa data. A parceria entre os países se traduz em uma série de negócios bilaterais.

Porém, com a deterioração econômica do país sul-americano, a Venezuela está recorrendo às suas reservas de ouro para pagar algumas dívidas com o Irã.

Patrocinados



Patrocinados

Assim, foi montada uma operação para a transferência de aproximadamente 9 toneladas de ouro entre a Venezuela e o Irã.

Essa operação, complexa, não custaria mais do que alguns dólares numa transação equivalente em Bitcoin.

Acordo Irã-Venezuela

Durante o mês de maio, fontes da Bloomberg informaram que foi realizada uma grande operação entre o Irã e a Venezuela.

Dessa maneira, 9 toneladas de ouro foram movidas entre os dois países, de maneira a quitar uma dívida.

No caso, a dívida diz respeito a um auxílio do Irã para reerguer algumas refinarias de petróleo da Venezuela.

Segundo as fontes, o acordo beneficia os Iranianos, que garantem uma fonte de renda, enquanto ajuda os Venezuelanos a manterem algum estoque do combustível.

Venezuela não refina petróleo

Apesar de ser o país com o maior estoque de petróleo do mundo, a Venezuela não realiza o processo de refinamento do petróleo cru.

Assim, o maior parceiro que realizava o procedimento eram os EUA. No entanto, as operações entre a Venezuela e os EUA cessaram após o reconhecimento norte-americano de Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela.

Os efeitos do “embargo” americano foram imediatos: a Venezuela passou a ter graves problemas de abastecimento de combustível.

Desse modo, foi necessário realizar um acordo com o Irã, que também é considerado um inimigo político do governo americano.

No acordo, os iranianos enviaram diversos aviões para a Venezuela, contendo aditivos, especialistas e maquinário para reparar uma refinaria de petróleo no país.

Operação do ouro envolveu diversos aviões

Como contrapartida ao auxílio iraniano, diversos outros aviões foram enviados para as redondezas de Caracas.

O objetivo é simples: carregá-los de ouro para enviar ao Irã, como forma de pagamento.

Embora as operações sejam envoltas de confidencialidade, uma coisa é certa: elas custaram dezenas de milhares de dólares aos dois países.

Transação equivalente em Bitcoin sairia “de graça”

85.000 BTC transferidos por aproximadamente U$ 2,75

O método de pagamento inusitado demonstra a impossibilidade de a Venezuela quitar o seu compromisso através de dinheiro ou outro formato mais simples.

Todavia, não há como deixar de fazer a comparação com as transações em criptomoedas.

Isso porque, no caso de uma transação equivalente em Bitcoin, a operação custaria alguns poucos dólares.

No caso, uma transação de 85.000 BTC (U$ 825.181.700,00 na cotação atual) custou apenas U$ 2,75 em taxas.

Há diversos outros exemplos disponíveis nos sites que fazem o rastreamento de informações desse gênero.

Certamente, a liquidez de um pagamento em BTC também é maior do que a do Ouro, já que a própria Venezuela está com dificuldades para vender parte dos seus estoques do metal.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Patrocinados
Share Article

Nicolas se formou em Direito pela Universidade Federal do Paraná e é pós-graduado em Gestão de Negócios Internacionais. Atualmente, cursa Jornalismo na FAPCOM. Escreve sobre economia, política e história há alguns anos. Em 2017, após entrar em contato com a tecnologia blockchain, se entusiasmou com o seu potencial e passou a estudar as aplicações da tecnologia aos diversos setores da economia. Seu foco está em discutir as melhores maneiras de alavancar o desenvolvimento nacional através do uso do blockchain e das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Previsões de cripto com o Melhor Canal de Sinais com +70% de acertos!

Entre Agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora