Justiça quer tirar criptografia de mensagens do Whatsapp na UE

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • O Conselho de Ministros da UE propõe uma resolução solicitando a remoção da criptografia em aplicativos de mensagens populares.

  • A resolução cita a necessidade de acesso às evidências eletrônicas no combate à atividade criminosa.

  • As dificuldade são ainda maiores com projetos descentralizados.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O Conselho de Ministros da UE solicitou a remoção da criptografia de ponta a ponta do WhatsApp, Signal e outros aplicativos para ajudar a combater o crime. Se aprovada, a resolução pode ter um enorme impacto na privacidade individual.



O Conselho de Ministros da UE propôs uma  nova resolução para aplicativos de mensagens criptografadas como WhatsApp e Signal, de acordo com um rascunho publicado no dia 6 de novembro. O meio de comunicação austríaco, RadioFM4, foi o primeiro a relatar o acontecimento.

A resolução cita aplicativos de comunicação de criptografia ponta a ponta para “exploração para fins criminosos” como sendo o motivador para reinar em seu poder. Enfatizou a necessidade de acesso às evidências eletrônicas como fundamentais no combate aos crimes. No entanto, pede a preservação do equilíbrio entre a proteção dos direitos fundamentais e a capacidade de combater a criminalidade.



O Conselho de Ministros não é um órgão oficial da UE, mas sim ministros dos países membros. Sua última proposta é uma indicação da posição que os reguladores da UE gostariam de adotar em relação aos aplicativos de preservação da privacidade. O Departamento de Justiça dos EUA fez sugestões semelhantes contra a criptografia, citando crimes hediondos.

As autoridades estão enfrentando uma tarefa monumental na regulação de um mundo cada vez mais digital. As tecnologias emergentes romperam as fronteiras geográficas, seja em finanças ou comunicação. Organismos globais, como o G20, estão recorrendo à cooperação internacional para lidar com esses desenvolvimentos. Mas o desafio permanece, pois não existem regras rígidas e rápidas com relação à regulamentação no complexo campo das novas tecnologias.

Combate à criptografia em moedas de privacidade

Moedas de privacidade e protocolos descentralizados também passaram pelo scanner nos últimos meses. Vários governos começaram a enfrentar as dificuldades de regular o espaço das criptomoedas. A falta de uma figura central para responsabilizar torna a perspectiva difícil.

Os principais alvos dos esforços dos governos têm sido moedas de privacidade, que protegem todos os dados de transações. Monero e Zcash são exemplos importantes. Defensores da privacidade como Edward Snowden falaram repetidamente sobre moedas de privacidade, chamando-as de imperativas em um mundo digital.

O IRS dos Estados Unidos concedeu subsídios no valor de US $ 1,25 milhão para empresas de inteligência de blockchain para quebrar o protocolo de privacidade do Monero. Embora Monero tenha resistido até agora, há relatos que afirmam que pode não ser, de fato, à prova de idiotas. CipherTrace disse em agosto de 2020, que havia quebrado o Monero, embora os críticos afirmem o contrário.

A Europol também lançou um relatório de crimes cibernéticos em outubro de 2020, rotulando moedas de privacidade e mercados descentralizados como as principais ameaças cibernéticas.

Embora as moedas de privacidade em si possam não estar sujeitas à aplicação da lei, as exchanges cumpriram as decisões que pedem a remoção. O ShapeShift removeu Monero e Dash da exchange com pouco aviso prévio. A OKEx Coreia também removeu várias moedas de privacidade em ordem para atender às diretrizes da Força-Tarefa de Ação Financeira (FATF).

Aplicativos de comunicação descentralizados

As equipes de desenvolvimento do Blockchain também estão trabalhando em aplicativos de comunicação descentralizados com comunicação criptografada. Isso seria aumentar ainda mais as dificuldades das autoridades que enfrentariam problemas semelhantes associados ao combate às moedas de privacidade.

Status e o Mark Dust, apoiado por cubanos, são dois dos mais conhecidos aplicativos de comunicação que preservam a privacidade. Eles fornecem criptografia ponta a ponta descentralizada para os usuários, embora ainda não estejam no mesmo nível do WhatsApp e do Signal.

Como as autoridades regulam os aplicativos de comunicação criptografados e centralizados, seria razoável esperar uma migração para as variantes descentralizadas. Em tal cenário, a capacidade de monitorar, registrar e citar evidências eletrônicas seria muito mais difícil.

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Rahul Nambiampurath é um trader da Índia que foi atraído pelo Bitcoin e pela blockchain em 2014. Desde então, ele é um membro ativo da comunidade. Ele tem mestrado em finanças.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá