Líder da Unick Tenta Fugir da Prisão Através da Justiça

Compartilhar Artigo

Fernando Lusvarghi que está foragido apresentou habeas corpus para continuar em liberdade.

Patrocinados



Patrocinados

Fernando Lusvarghi tentou continuar em liberdade de acordo com um habeas corpus apresentado à justiça. O advogado que é conhecido como um dos líderes da Unick Academy teve sua prisão temporária decretada recentemente.

Assim como outros líderes da empresa, Fernando Lusvarghi foi mencionado entre os dez mandados de prisão expedidos para a Operação Lamanai. Nove pessoas foram presas na operação policial que aconteceu no dia (17).

Patrocinados



Patrocinados

A Unick Academy mudou de nome após uma notificação da CVM em 2019. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pediu esclarecimentos para a plataforma sobre a oferta irregular de operações financeiras no Brasil. Além disso, desde que essa notificação aconteceu a plataforma passou a enfrentar problemas com pagamentos em atrasos.

Unick movimentava R$ 40 milhões por dia em Bitcoin

Estima-se que a empresa possua mais de 740 mil clientes em vários países, que foram atraídos por ofertas de até 30% de lucro ao mês. O impressionante número colocaria a Unick como sendo a segunda maior empresa que opera criptomoedas no Brasil. A título de comparação, a empresa só perderia para o Mercado Bitcoin em número de clientes.

Ao todo, a plataforma movimentava até R$ 40 milhões por dia. A Unick alegava ainda que a maior parte dos ganhos eram provenientes de investimentos em criptomoedas como o Bitcoin.

Fernando Lusvarghi está foragido há mais de uma semana

No último dia (17) a Polícia Federal cumpriu uma megaoperação contra a Unick. A Operação chamada Lamanai terminou com a prisão de nove líderes da plataforma. No total existiam dez mandados de prisão temporária expedidos, sendo que um deles era direcionado a Fernando Lusvarghi.

Com a prisão dos demais líderes da Unick, os investidores foram surpreendidos com nomes conhecidos como Danter Silva e Leidimar Lopes atrás das grades. Após a Operação Lamanai ser deflagrada em várias cidades brasileiras, Fernando Lusvarghi é o único que encontra-se foragido, até então.

Além dos mandados de prisão, foram expedidos 65 mandados de busca e apreensão contra endereços ligados a empresa. Com esses mandados foram confiscados carros de luxo e até 1.500 unidades de Bitcoin em posse dos investigados.

Fernando tentou permanecer em liberdade após cerca de uma semana em que a Operação Lamanai foi deflagrada. O advogado e diretor jurídico da Unick Academy busca não ser preso depois que um habeas corpus foi apresentado na justiça.

Justiça não concede liberdade para líder da empresa

Caso a decisão fosse favorável, o líder da Unick deveria aguardar as investigações sobre a empresa bem longe das grades. Com a decisão do habeas corpus, o advogado não teve sua prisão temporária anulada.

A justiça entendeu que Fernando Lusvarghi possui um enorme envolvimento com a Unick. De acordo com a decisão, o advogado possuía uma posição de destaque na empresa apontada como pirâmide financeira.

“Diante dos fartos indícios de participação na prática de crimes contra o sistema financeiro e de sua destacada importância na organização criminosa investigada, entendo necessária a prisão temporária de Fernando Marques Lusvarghi.”

O advogado também é o presidente da S.A. Capital. A empresa é apresentada como “garantidora” das operações envolvendo a Unick. Para oferecer esta garantia, a S.A. Capital supostamente teria um terreno de R$ 750 milhões em Cristalina – GO. A garantidora da Unick também foi citada na decisão do pedido de habeas corpus.

Desembargador é o mesmo que revisa julgamento de Lula

Na decisão proferida em desfavor do habeas corpus apresentado, o desembargador Leandro Paulsen citou até que o foragido não registrava seus bens em seu próprio nome. Ou seja, Lusvarghi utilizava “laranjas” para supostamente esconder seus negócios.

A decisão pelo indeferimento do habeas corpus foi assinada pelo mesmo desembargador responsável pela revisão do processo envolvendo o ex-presidente Lula. Leandro Paulsen faz parte do 4º Tribunal Regional (TRF-4), onde o caso de Lula foi julgado. Paulsen faz parte da 8ª Turma do TRF – 4 onde os casos envolvendo a Lava – Jato são julgados em segunda instância.

O texto da decisão mostra que a investigação do caso aponta que Lusvarghi transferiu todos os seus bens para o nome da esposa. Até mesmo o nome de um “laranja” é citado no processo para negar o pedido de habeas corpus do líder da Unick.

Foragido há mais de uma semana, Fernando Lusvarghi tenta garantir sua liberdade antes de ser preso. Após o indeferimento do habeas corpus, o advogado poderá se entregar à polícia, ou ainda, permanecer foragido da justiça.

O que você acha que acontecerá com o líder da Unick? Deixe um comentário com sua opinião logo abaixo e compartilhe essa notícia no Twitter.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Patrocinados
Share Article

A opinião da equipe BeInCrypto em uma única voz.

SEGUIR O AUTOR

Previsões de cripto com o Melhor Canal de Sinais com +70% de acertos!

Entre Agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora