Mineradores de bitcoin na China estão tendo dificuldades para manter as operações

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Cerca de 74% dos mineradores de Bitcoin na China estão lutando para pagar suas contas de eletricidade.

  • Alguns fatores atrapalham o acesso ao dinheiro para pagamento das despesas.

  • As dificuldades podem tirar os mineradores da China.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Mineradores de Bitcoin chineses estão enfrentando dificuldades para pagar suas contas de eletricidade, já que as autoridades policiais estão se envolvendo em grandes operações de congelamento de cartões.



De interrupções na cadeia de suprimentos causadas pelo bloqueios do coronavírus até inundações excessivas durante a temporada de monções de Sichuan, os mineradores de Bitcoin (BTC) na China estão enfrentando um 2020 desafiador.

74% dos mineradores de bitcoin chineses lutam com pagamentos de eletricidade

De acordo com a fonte de notícias de criptomoedas chinesa, @WuBlockchain, cerca de 74% dos mineradores de Bitcoin em uma pesquisa recente relataram dificuldades em pagar pela eletricidade. Tweetando no dia 16 de novembro, Wu Blockchain revelou que as medidas de congelamento do cartão são severas em limitar as opções de pagamento de contas para os mineradores.



Desde o início de 2020, o governo da China passou à ofensiva contra a lavagem de dinheiro com a aplicação da lei visando especificamente a indústria de telecomunicações e cripto.

Conforme relatado anteriormente pelo BeInCrypto, a polícia chinesa pode ter detido Star Xu (Xu Mingxing), cofundador da OKEx como parte de uma repressão mais ampla ao crime financeiro.

A ação do governo resultou em um congelamento generalizado dos pagamentos com cartão. De acordo com relatórios sobre a plataforma chinesa de mídia social WeChat , os bancos estão congelando cartões associados a transações cripto.

Assim, as mineradoras chinesas estão enfrentando dificuldades para liquidar seu BTC extraído e outras criptos para a moeda local. Com acesso limitado ao yuan, os mineradores de Bitcoin na China estão cada vez mais incapazes de pagar pela eletricidade.

O cartão congela e subsequentes dores de cabeça logísticas podem fazer com que os mineradores migrem para outros países. Com o prêmio do bloco reduzido pela metade em maio, a eficiência operacional está conduzindo a guerra da taxa de hash agora mais do que nunca.

Desafiando o domínio da taxa de hash da China

De acordo com o Cambridge Bitcoin Electricity Consumption Index (CBECI) , a China representa cerca de 65% da distribuição total da taxa de hash global.

Uma migração significativa de mineradores da China pode fazer com que os EUA, Rússia e Cazaquistão controlem uma parte maior do mapa mundial de taxas de hash de mineração Bitcoin.

Fonte: Cambridge Bitcoin Electricity Consumption Index (CBECI)

O Cazaquistão já se posiciona como um viável destino para mineiros de Bitcoin. Além de tarifas de eletricidade baratas, o país também tem imposto zero sobre as receitas de mineração de criptomoedas.

O Irã, outro centro de mineração de cripto emergente, também está criando políticas destinadas a atrair mais mineradores de Bitcoin. Em maio, o presidente do país, Hassan Rouhani, pediu ao banco central que elaborasse um estratégia nacional de mineração de criptomoedas .

O Irã legalizou a mineração de criptomoedas em agosto de 2019 com grandes empresas de energia até mesmo vendendo eletricidade para mineradores de Bitcoin . Além de apoiar as atividades de mineração de cripto, o Irã também busca um objetivo de uma estrutura regulatória de criptomoeda revertendo políticas anti-moeda virtual anteriores.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Osato é repórter do BeInCrypto e defensor do Bitcoin em Lagos, Nigéria. Quando não está imerso nos acontecimentos diários da cena cripto, ele pode ser encontrado assistindo a documentários históricos ou tentando bater sua pontuação mais alta no Scrabble.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá