Moedas Digitais Serão Destaque na Próxima Década, Prevê Deutsche Bank

Compartilhar Artigo

Em um novo relatório que prevê a década de 2020-2030 pelo Deutsche Bank Research, o banco diz que a adoção de moedas digitais é inevitável. Os governos precisam se atualizar ou a reação contra as moedas fiduciárias será grande demais para suportar.



O Deutsche Bank Research divulgou suas previsões para a próxima década, cujas criptomoedas devem ser uma pedra angular da economia do mundo à nossa frente. Em uma admissão chocante, o Deutsche Bank Research diz a seus leitores que os governos precisam se adaptar a essa realidade inevitável ou correm o risco de ficar para trás completamente.



As moedas digitais substituirão dinheiro?

O Deutsche Bank Research publicou algumas previsões ousadas sobre o futuro das moedas fiduciárias.

Dada uma parcela de mão-de-obra em declínio devido à automação em todo o mundo, o relatório argumenta que a inflação pode eventualmente subir mais e mais. Dúvidas, neste caso, aumentarão sobre a sustentabilidade das moedas fiduciárias. Portanto, “a demanda por moedas alternativas provavelmente será significativamente maior quando 2030 chegar”, diz o relatório.

O Deutsche Bank Research descobriu que os anos 2020 provavelmente verão as criptomoedas aumentarem como uma resposta ao enfraquecimento das moedas fiduciárias em todo o mundo. Até agora, “as criptomoedas têm sido uma adição e não substitutos”, mas isso pode mudar ao longo da década. Uma vez superados os obstáculos regulatórios, o apelo das criptomoedas só aumentará e “aumentará o potencial de substituir o dinheiro”, escreve o banco.

Uma previsão ousada que afirma um futuro mundo digital

No relatório de previsões de 2030, um capítulo inteiro é inteiramente dedicado às criptomoedas. Colocando criptomoedas em uma curva de taxa de adoção semelhante à internet, o Deutsche Bank prevê que até 2030, as criptomoedas de utilização atingirão um ponto crítico.

O banco também prevê que o aumento das criptomoedas virá com um novo cenário digital – um com ataques cibernéticos, guerras digitais e o embaçamento das linhas entre público e privado. Novas indústrias testarão criptomoedas e em breve poderão formar um pilar crítico na geopolítica. Já estamos vendo essas peças se encaixarem, pois muitos estados e empresas multinacionais em todo o mundo começam a emitir suas próprias stablecoins. Em resumo, uma corrida armamentista global está emergindo sobre quem pode ser o primeiro a implementar essa tecnologia.

No entanto, a transição para uma economia usando moedas digitais exigirá que o sistema financeiro funcione inteiramente com eletricidade, afirma o Deutsche Bank Research. Isso significa que ele precisará ser capaz de superar quaisquer interrupções de energia ou ataques cibernéticos. É necessário fazer backup dos dados dos cidadãos em casos de emergência.

No total, o Deutsche Bank afirma que o mundo futuro provavelmente envolverá moedas digitais de alguma forma ou forma. Isso trará um novo paradigma na maneira como percebemos e concebemos o próprio dinheiro. No entanto, permanece a pergunta: os governos serão rápidos o suficiente para se adaptarem a esses tempos de mudança ou serão hostis? Quando entramos na década de 2020, as respostas a essas perguntas serão inevitáveis ​​em breve.


Imagens cortesia da Shutterstock.

Share Article

Lucas é formado em administração com foco em empresas. Iniciou sua carreira como analista de investimentos para bancos focados no segmento. Após adquirir experiência, em 2015 fundou sua própria startup, focada em gerar tecnologias de segurança para transações financeiras. Concomitantemente, desenvolve seu trabalho e conhecimento financeiro atuando no BeInCrypto, através de análises do setor financeiro de criptomoedas e novas avaliações de novas tecnologias Blockchain pelo mundo.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá