Não Existe Dinheiro da Indeal Para Pagar Investidores de Bitcoin, Revela Justiça

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Justiça encontra contas zeradas após tentar bloquear bens em nome da empresa.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O Bitcoin é incansavelmente utilizado por empresas que podem aplicar golpes no mercado. Imagina então como deve ser a experiência daqueles que caíram em armadilhas atraídos por lucros que não existem. Para piorar, existem esquemas com criptomoedas que simplesmente não possuem dinheiro para pagar seus clientes.



Esse é o caso da Indeal e seus milhares de clientes espalhados por todo o Brasil. Quem decidiu investir em Bitcoin pela Indeal pode enfrentar problemas para receber seu dinheiro de volta. A plataforma está com suas contas zeradas, conforme revela a Justiça de Sumaré, em São Paulo.

Um processo judicial movido por um cliente mostra que a justiça não encontrou dinheiro em nome da empresa. Ou seja, as contas da Indeal estão zeradas, o que preocupa investidores que esperam receber da plataforma.



Sem dinheiro para pagar clientes

A Indeal não tem dinheiro para pagar seus clientes. Pelo menos essa é a resposta publicada pela justiça nesta quarta-feira (29). Os autos do processo mostram que autoridades procuraram dinheiro em contas do negócio, contudo, nada foi encontrado.

Se houvesse algum dinheiro, este poderia ser bloqueado em forma de arresto de bens. O processo em questão já representa uma decisão contra a Indeal e suas atividades envolvendo o Bitcoin.

Ao pedir a devolução do dinheiro, o cliente da plataforma tentou bloquear qualquer quantia que estivesse em contas bancárias. Sem sucesso, a justiça informa o a “insuficiência de saldo”, demonstrando que as contas estão zeradas.

Indeal investia em Bitcoin?

Nem tudo está perdido para o cliente que está movendo processo contra a suposta “pirâmide financeira” de Bitcoin. A decisão judicial explica que outros bens podem ser penhoráveis para que a dívida seja quitada. Como não foi encontrado nenhum dinheiro, o autor da ação deve sugerir outros itens para que a justiça os bloqueie.

Esse bloqueio pode resultar em carros apreendidos e até imóveis arrestados. Enquanto isso não acontece, os investidores da Indeal esperam por respostas da companhia desde que suas atividades foram interrompidas.

As operações da empresa chegaram ao fim com a Operação Egypto deflagrada em vários estados no dia 31 de maio de 2019. Na ocasião, policiais prenderam líderes, dinheiro, carros e outros bens em endereços ligados ao esquema.

A Indeal pode ter movimentado R$ 1 bilhão durante sua atividade irregular no mercado financeiro. Na procura por bens encontraram também criptomoedas que fazem parte dos investimentos plataforma investigada.

Em uma das contas em exchanges foram encontrados quase 4 mil unidades de Bitcoin (BTC), que pertencem aos investidores vítimas da fraude desmantelada pela Polícia Federal. No total, as autoridades também apreenderam R$ 1,3 milhão em dinheiro.

Parte dessa quantia podia servir para pagar o cliente que não encontrou nada nas contas da Indeal. Mesmo com o pedido de tutela de urgência deferido pela justiça, o usuário do interior de São Paulo não conseguiu receber seu dinheiro de volta.

Ele pede pouco mais de R$ 7 mil na ação judicial que surpreendeu os clientes da Indeal. Sem nada em contas bancárias, dificilmente eles devem receber por aquilo investiram.

Faça parte da nossa página de criptomoedas no Twitter! Assim ficará por dentro das últimas notícias sobre criptomoedas e blockchain acontecendo no Brasil e no mundo!

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá