Novo indicador de Bitcoin mostra quando baleias tentam provocar queda de preço

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Indicador mostra reflexo de apetite de baleias de Bitcoin nos EUA.

  • Segundo analista, índice pode revelar se grandes investidores querem que preço caia de propósito.

  • Bitcoin recua 8,5% nesta manhã.

  • promo

    Participe da nossa comunidade gratuita no Telegram e obtenha sinais de trade e análises de criptomoedas todos os dias!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Indicador mostra apetite de baleias de Bitcoin nos EUA e pode revelar se grandes investidores querem que preço caia de propósito.

Patrocinados



Patrocinados

Um novo indicador de mercado promete mostrar quando baleias tentam influenciar a direção do preço do Bitcoin. Criado na casa de análise CryptoQuant, o Índice Coinbase Premium compara o preço do BTC na Coinbase com o da Binance.

Na visão da empresa, a diferença de preço entre as duas das maiores exchanges do mundo pode estimar o comportamento de grandes investidores americanos. O argumento, dessa forma, leva em conta que muitas baleias de Bitcoin estão nos EUA e utilizam o serviço Coinbase Pro para comprar ou vender BTC em grande quantidade.

Patrocinados



Patrocinados

Apresentando o Índice Coinbase Premium! É a diferença de preço entre o par BTCUSD na Coinbase e par BTCUSDT na #Binance . É útil para ver os fluxo de entrara no mercado à vista em dólares americanos. Quando as baleias da Coinbase compram ou vendem BTC, geralmente criam uma grande diferença de preço.

Índice pode mostrar tentativa de baleias de comprar BTC mais barato

Analistas de Bitcoin costumam observar com atenção o comportamento das baleias de Bitcoin na Coinbase. A ideia é, portanto, que o serviço Coinbase Pro pode indicar uma tendência de alta ou baixa do mercado. Se a exchange retira muitos Bitcoins do mercado, significa uma alta na compra e consequente subida de preço.

Por outro lado, quando a Coinbase deposita muitos BTCs, em geral decorre de interesse na venda e consequente queda de preço. Quando há uma diferença grande a menor para a Binance, analistas julgam que baleias dos EUA podem estar tentando provocar uma queda de preço da moeda.

Para o analista Ki Young Ju, CEO da CryptoQuant, o movimento seria proposital – possivelmente para comprar BTC mais barato.

Parece que os vendedores de BTC vieram da Coinbase. O Índice Coinbase Premium tem um valor negativo desde uma hora atrás. As baleias da Coinbase podem querer que o BTC caia para consolidação.

Preço cai 8,5% nesta manhã

Por volta das 6h40 no horário de Brasília, o novo indicador já mostrava uma diferença de US$ 164 a menor no preço do Bitcoin na Coinbase. O valor, dessa forma, indicaria uma forte pressão de venda por baleias na exchange.

Na visão da casa de análise, a iniciativa seria principalmente de “baleias da velha guarda”. Esses investidores, portanto, teriam comprado BTC por um preço muito mais baixo e estariam ávidos para realizar lucros no preço atual.

No entanto, apesar da diferença maior na Coinbase, o movimento provoca impacto no mercado em geral. Nesta manhã, o Bitcoin recuou de US$ 35.000 e chegou a US$ 32.000. No fechamento da matéria, o BTC é negociado na região dos US$ 32.500, segundo o Coingecko.

Se recuar para baixo desse patamar, a próxima região de suporte estaria entre US$ 30.000 e US$ 29.000. Por outro lado, apesar do otimismo para 2021, outros analistas estimam que o preço pode cair para US$ 28.000 no pior dos cenários de curto prazo.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Patrocinados
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Sou editor-chefe do BeInCrypto Brazil desde abril de 2021.

SEGUIR O AUTOR

Previsões de cripto com o Melhor Canal de Sinais com +70% de acertos!

Entre Agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora