Novo Tributo CPMF de Paulo Guedes pode Afetar o Bitcoin?

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Transações digitais estão na mira do que seria a nova CPMF criada pelo governo de Jair Bolsonaro.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O Ministro da Economia Paulo Guedes estuda criar um novo tributo no Brasil que pode afetar diretamente o Bitcoin. De acordo com a proposta do economista, um tributo sobre transações digitais deverá ser criado pelo governo de Jair Bolsonaro.



O anúncio sobre o possível imposto foi realizado por Guedes em recente entrevista sobre a situação econômica do país ao G1. A proposta do especialista é desonerar a folha de pagamentos para o empresário, sobrecarregando outros setores como as movimentações financeiras.

Enquanto o mundo caminha para a digitalização do dinheiro de forma descentralizada, o Brasil deve aprovar uma lei que pode onerar transações com o Bitcoin. Como a criptomoeda é negociada exclusivamente por meio eletrônico (na maioria das vezes), tudo indica que estas operações também podem ser tributadas.



O Bitcoin como alvo de uma nova CMPF

Em 2019 o Bitcoin recebeu tamanha notoriedade no Brasil sob diversos aspectos. No final do primeiro semestre a equipe econômica de Paulo Guedes anunciou a inclusão de transações financeiras com criptomoedas na balança comercial.

Esta inclusão ainda merece debate o suficiente para entender como os números desta gestão econômica estão sendo utilizados para contabilizar o Bitcoin.

Além de entrar para a balança comercial, o Bitcoin deve ser motivo de uma criação de uma nova CPMF. O tributo anunciado por Guedes deve atingir em cheio negociações envolvendo as criptomoedas em todo o país.

Transações digitais podem ser cobradas diante do que seria a nova CPMF. Embora Guedes não tenha citado o Bitcoin diretamente, criptomoedas facilmente podem ser incluídas no novo pacote econômico.

Até então, transações por celulares e computadores receberiam a cobrança de tal alíquota. No entanto, a porcentagem que será cobrada pelo governo ainda não foi anunciada.

Como o governo de Jair Bolsonaro receber mensalmente informações sobre transações com Bitcoin em corretoras de criptomoedas de todo o país, o próximo passo seria cobrar para enviar e receber moedas digitais.

Caso o imposto sobre transações seja aprovado, negociações com Bitcoin podem ser reconhecidas como operações digitais, passíveis de pagamento da nova CPMF. Este imposto foi extinto em 2007, ano em que o político Lula ainda era presidente do Brasil.

Qual sua opinião sobre taxar transações envolvendo o Bitcoin? Comente sobre a decisão de Paulo Guedes e não se esqueça de compartilhar a notícia com os amigos no Facebook.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá