Para Fernando Ulrich, não é possível prever quando a economia brasileira vai se recuperar

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Queda do PIB e aumento do desemprego são preocupantes.

  • A imprevisibilidade causada pela pandemia dificulta as previsões do retorno econômico.

  • Para Ulrich, o cenário econômico vivenciado em fevereiro não vai voltar tão cedo.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Desde o início da crise sanitária e do declínio das atividades econômicas no Brasil, um pensamento passou na mente de muitas pessoas: Quando a economia brasileira vai sair dessa crise?



Vários países da Europa e Ásia já conseguiram controlar a pandemia de coronavírus e estão, lentamente, tentando voltar ao normal, com a reabertura do comércio. Alguns estados brasileiros também estão ensaiando a reabertura de parte do comércio, porém por aqui, o número de novos casos da doença é crescente.

Para o economista Fernando Ulrich, não é possível prever quando a nossa economia irá se recuperar.



A situação atual

Os números sobre a crise econômica são preocupantes. No primeiro trimestre de 2020 o PIB brasileiro foi de 1,5% negativo. E vale lembrar que o início das medidas de isolamento social começaram a acontecer em meados de março.

Portanto essa queda do PIB foi reflexo de menos de um mês de quarentena.

Ulrich acredita que o PIB do segundo trimestre vai sofrer um impacto muito maior, já que, ao que tudo indica, o comércio seguirá fechado e as pessoas vão continuar diminuindo o consumo.

Além disso, Ulrich diz que, para prever uma futura recuperação da economia, precisamos ficar atentos ao índice de desemprego.

Ainda no primeiro trimestre, o índice de desemprego foi de 12,6%, o que não é considerado muito, se levarmos em conta o índice dos últimos anos. Porém, esse dado não leva em conta as pessoas que não estão mais ocupadas e procurando emprego.

Se levarmos em conta essas pessoas, temos cerca de 4,5 milhões de brasileiros desocupados.

Ulrich diz que esse número é muito preocupante, já que, devido as leis trabalhistas brasileiras, o processo de contratação e demissão de um funcionário são mais longos, portanto, quando a pandemia for controlada e começarmos a voltar a abrir vagas de trabalho, esse processo vai ser muito mais lento do que outros países.

Além disso, ele diz que esse número de pessoas desocupadas e que não estão mais procurando trabalho deve crescer nos próximos meses. O que vai influenciar diretamente no futuro crescimento econômico.

Quando acaba a crise econômica?

Ulrich diz ser difícil saber, já que essa não é uma crise normal, que ocorre recorrentemente em círculos econômicos.

Além disso, a pandemia trouxe uma imprevisibilidade para a crise econômica. Talvez quando passarmos o pico da doença, poderemos começar a ter algum vislumbre de quando e como a crise vai acabar.

Porém, com a possibilidade de uma segunda onda de infecções, é imprevisível fazer projeções.

Ulrich acredita que, a normalidade e o momento econômico que estávamos vivenciando em fevereiro, não voltará tão cedo.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Mercadóloga, mestra em estratégia e estudiosa do mercado financeiro. Entusiasta do Bitcoin, começou a escrever sobre criptomoedas em 2017 e nunca mais parou. Atualmente é colaboradora do portal BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá